O hábito de falar mal do ex para os filhos é crime de alienação parental

“O hábito de falar mal de um dos pais para as crianças, segundo a Lei n.º 12.318/2010 é considerado crime de alienação parental e refere acerca da interferência na formação psicológica da criança ou do adolescente promovida ou induzida por um dos genitores, pelos avós ou pelos que tenham a criança ou adolescente sob a sua autoridade.”

Achei essa informação tão valiosa!

Eu sei que casais brigam, que a gente reclama um do outro no cotidiano e como filha de pais separados sei que na crise que efetivamente leva ao rompimento é difícil controlar os sentimentos.

Mas manter esse desconforto, o hábito de reclamar do outro, fazer comparações da criança com o outro lado em tom de crítica só desconstrói a personalidade em formação.

Está difícil? Desabafe com amigos de confiança, faça terapia, participe de um pequeno grupo ou célula na sua igreja. Mas não torture psicologicamente seu filho criticando o que é 50% da genética dele.

Ah, mas você não conhece meu ex ou minha ex. Não conheço, talvez sua criança também não saiba “da missa a metade”, mas garanto que com o tempo, quando amadurecem, até os filhos enxergam como cada um na família é. Nem precisamos ajudar, fica claro o lado bom, o lado ruim, o que desejamos ter por perto e o que é nocivo.

Ame seus filhos, preserve o coração deles e, se você tem fé como eu, entregue ao Senhor. O Pai olha por todos nós, seus filhos.

The following two tabs change content below.

Sam Shiraishi

Cristã, jornalista, mãe de Enzo, Giorgio e Manuela, casada com Guilherme. Paranaense que caiu de amores pela Mooca em 2005. Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena.

Latest posts by Sam Shiraishi (see all)

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *