Como é uma Biblioteca Escolar Modelo?

De 3 a 12 de agosto quem visitar a 25ª Bienal Internacional do livro, no Pavilhão do Anhembi – São Paulo/SP, terá a oportunidade de conhecer uma Biblioteca Escolar Modelo.

Com cerca de 50 m², a Biblioteca Modelo conta com um rico acervo de livros, mobiliário arrojado, sistema informatizado para pesquisa e empréstimo de materiais, além de uma programação cultural, voltada para o incentivo à leitura. Sempre com a participação ativa de um bibliotecário, mostrando como uma biblioteca bem estruturada deve ser.

A ideia do estande,  organizado  pelo Conselho Regional de Biblioteconomia –  8ª região (CRB-8), é sensibilizar a população, os profissionais e as instituições sobre a Lei 12.244/2010, que regulamenta que todas as instituições de ensino públicas e privadas do Brasil tenham bibliotecas até 2020. A legislação, sancionada em 24 de maio de 2010, também determina que   todos os gestores providenciem um acervo de, no mínimo, um livro para cada aluno matriculado.

“Faltando menos de dois anos para o fim do prazo, ainda muito precisa ser feito, mas a lei foi um grande avanço e precisa ser aplicada. A Biblioteca Escolar é um direito de toda a sociedade. No Estado de São Paulo, há décadas, se ressente da falta de bibliotecas nas escolas públicas. A função do poder público é criar esses espaços fundamentais para que o estudante aproprie-se de informações e cultura em perspectiva crítica e criativa. Sempre com a presença do bibliotecário”, defende a presidente do Conselho Regional de Biblioteconomia – 8ª região, Regina Céli de Sousa.

Mas é preciso ficar atento com a implantação em larga escala das Bibliotecas Escolares. Uma biblioteca escolar não se faz por um amontoado de livros. É preciso que haja padrões.  Qual a quantidade mínima de publicações? Qual espaço físico precisa dispor para acomodar o acervo? Por que o acervo da biblioteca deve ser catalogado e estar ao alcance do usuário? É necessário ter internet? Qual horário ideal de funcionamento? Para responder essa e outras questões, o Conselho Federal de Biblioteconomia definiu os parâmetros a serem adotados para a estruturação e o funcionamento das Bibliotecas Escolares, por meio da Resolução CFB nº. 199 de 3 de julho de 2018. Esses parâmetros podem ser conferidos aqui: http://repositorio.cfb.org.br/handle/123456789/1313

“Todos sabem da importância da biblioteca escolar, pois a leitura é um dos melhores instrumentos para disseminar ideias. Além de um bom acervo e equipamentos adequados, é fundamental a presença do bibliotecário para estimular que o aluno saiba selecionar, processar informações e estabelecer vínculos entre elas. Hoje, o bibliotecário, mais que um especialista técnico, desempenha um papel ativo, um agente de mudanças sociais”, explica Regina Céli.

Regina destaca ainda que a profissão de bibliotecário mudou muito nos últimos anos e que o profissional vem cada dia mais se especializando, adotando práticas inovadoras de incentivo à leitura, ação cultural e a tecnologia aplicada aos produtos e serviços da biblioteca.

Além de conhecer a Biblioteca Modelo, simular empréstimos de livros por meio de tecnologia de ponta, poder ler e folhear as publicações no estande da biblioteca, as crianças, professores e as famílias poderão participar de uma série de atividades incríveis que tem como objetivo incentivar o gosto pela leitura.

A programação na Bienal terá contação de histórias, trava-línguas, peças pedagógicas para montar, jogos de literatura (termômetro e dominó literário), declamação de poesias e do Cordel, entre outras.

Lançamento da Campanha Biblioteca Escolar para Todos – Petição Pública:

Pensando em ampliar o olhar sobre a Biblioteca Escolar e buscar novos espaços de debate o CRB-8 criou o abaixo-assinado convocando a sociedade e os setores público a ampliar a discussão sobre as bibliotecas escolares, assim como a criação de sistemas e redes de bibliotecas escolares em instituições públicas no âmbito municipal, estadual e nas particulares com a devida contratação do profissional bibliotecário.

Se você é a favor que todas as escolas do país tenham bibliotecas, pode engrossar o coro e participar da Campanha Biblioteca Escolar para Todos. A Campanha será lançada durante a 25ª Bienal Internacional do livro, mas você já pode assinar, clicando aqui: http://www.peticaopublica.com.br/viewsignatures.aspx?pi=BR107124

Livros serão doados para Bibliotecas após  o término da  Bienal:

Os livros disponibilizados pelas empresas parceiras para a montagem da Biblioteca Escolar Modelo, que ficará exposta durante a 25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, serão doados pelo CRB-8 após a realização do evento. São livros didáticos, paradidáticos, infantis e infanto juvenis, que serão disponibilizados em lotes para bibliotecas escolares ou comunitárias.

O evento tem apoio cultural das empresas: Grupo Autêntica, Editora Brasiliense, Global Editora, L&PM Editores, Panda Books, Editora Dimensão, Brinque Book, Editora 34, Escola Lourenço Castanho, Editora Peirópolis, i10 Bibliotecas – software da Práxis, Biccateca-mobiliário, Bibliotheca, Modal – ABCD Library.

Bibliotecários poderão tirar gratuitamente Cédula de Identidade Profissional:

Bibliotecários que passarem pelo estande do CRB-8, durante a 25ª BienalInternacional do Livro de São Paulo, podem emitir e já sair com sua Cédula de Identidade de Bibliotecário (CIB) com todos os dados). Basta levar cópia simples e o original dos seguintes documentos: RG, CPF, título eleitoral, certidão de estado civil e uma foto (3×4) em fundo branco. Se quiser adiantar o processo, pode levar preenchido o formulário de atualização cadastral que se encontra no site: www.crb8.org.br

O CRB-8 também disponibilizará para bibliotecários, professores  e estudantes uma série de eventos como: Leitura sob diferentes perspectivas de linguagem: Tecendo a trama com Angélica Miyuki Farias (UNIFAI) (dia 3 às 16h); Lançamento do livro “A biblioteca de Foucault: reflexões sobre ética, poder e informação”, com Cristian Brayner (dia 4, às 19h); RPG em bibliotecas e escolas: o que é e como aplicar, por Vitor Emanuel (dia 10, às 13h); Bate papo: Fake News, com Tania Callegaro (FESPSP) e Eugênio Bucci (ECA-USP) ( dia 12, às 18h15) .

Serviço:

The following two tabs change content below.

Sam Shiraishi

Cristã, jornalista, mãe de Enzo, Giorgio e Manuela, casada com Guilherme. Paranaense que caiu de amores pela Mooca em 2005. Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena.

Latest posts by Sam Shiraishi (see all)

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *