Slime: comprar, fazer em casa ou boicotar?

Algumas coisas entram na moda e passam batido aqui em casa, talvez por conta das idades tão diferentes, talvez basicamente porque meus três nerds não são muito de modismos.

Com o slime tem sido assim, pelo menos por enquanto.

O slime é um brinquedo que surgiu em referência ao personagem “Slimer” do filme “Caça-Fantasmas” (1984), um espírito esverdeado e com aspecto gelatinoso.

Eu ia apresentar para a pequena, de 5 anos, mas li que a tal massinha divertida pode causar queimaduras, dermatite e outras coisas, e fiquei quieta, esperando que ela mesma descubra ou a moda passe!

Mas Sam, e o papo de ser tóxico?

A reportagem (em inglês) conta de um caso:

Eis o que eu li:

“Há risco de inalação ou ingestão desses produtos, que são muito tóxicos. Além disso, o ácido bórico da água boricada pode gerar dermatite e até queimadura em peles com machucados, por menores que sejam.”

Quem explica é a  dermatologista Rossana Vasconcelos, da Sociedade Brasileira de Dermatologia. A médica ainda explica que até mesmo o contato exacerbado com produtos aparentemente inofensivos, como detergentes e espumas de barbear, pode irritar a pele, mucosa e até mesmo os olhos. Ela indica usar slime industrializado, mas a verdade é que a moda é fazer o slime em casa, pois envolve a sempre positiva experiência de criar e personalizar.

Mas… a receita de slime pode incluir diversos produtos químicos que podem gerar malefícios, como bicarbonato de sódio, água boricada, espuma de barbear, cola, detergente e corantes.

Embora a origem de sua criação seja inocente, o brinquedo já foi ligado a diversos casos de reações cutâneas, como a queimadura sofrida por uma menina de 11 anos em Massachusetts, nos Estados Unidos. Inclusive, a agência francesa de segurança sanitária informou em comunicado que há “vários casos de reações cutâneas associadas ao slime“.

E olha o que Daniella Freixo de Faria levanta como preocupações com o perigo físico do manuseio do produto, e, o que mais gostei, ela trata do mundo do desejo, do consumismo e da insatisfação constante que pode trazer esta atividade.

Para pensar, né?

Quer testar e ver como seu filho reage?

Nos dias 7, 8, 9, 14, 15, 21 e 22 de julho, tem oficina de Slime de 3 a 12 anos no Shopping Frei Caneca. Veja detalhes na nossa fanpage:

Se mesmo assim você quer tentar fazer em casa nestas férias, aqui tem uns vídeos:

Neste, olhem, a youtuber testa coisas caseiras para fazer, como xampu, pasta de dentes…

Ah, você também achava as massinhas todas parecidas?

Olha este video do “Tio Lucas” comparando as massinhas de modelar, elas são opções sempre muito legais para brincar!

 

O brincar de massinha desenvolve a criança de forma global , além de exemplos de brincadeiras que podemos fazer com a massinha. A segurança física e emocional são fundamentais para que o brincar aconteça livremente. Vamos brincar juntos de massinha! 

The following two tabs change content below.

Sam Shiraishi

Cristã, jornalista, mãe de Enzo, Giorgio e Manuela, casada com Guilherme. Paranaense que caiu de amores pela Mooca em 2005. Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena.

Latest posts by Sam Shiraishi (see all)

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *