Planejando um Brunch delicioso

Foram os ingleses que tiveram a ideia de unir o café da manhã (breakfast) com o almoço (lunch), criando o que conhecemos atualmente como Brunch. Hoje essa recepção é muito comum após batizados, celebrações religiosas (Páscoa e Natal) ou mesmo em encontros casuais pela manhã, a partir das 11 horas, que se estendam até algumas horas da tarde.

Uma forma de receber a família e amigos de uma forma mais informal mas muito aconchegante.

LUM3N / Pixabay

Eu gosto tanto, mas tanto de brunch, que já comemorei o aniversário da caçula duas vezes oferecendo uma festa deste gênero aqui em casa: o primeiro aninho, quando a criança precisa da soneca da tarde e está animada de manhã, e o terceiro ano, com as primeiras amiguinhas de escola, para poderem brincar sem ter hora para parar.

Fiz cupcakes, sanduíches com patês (de mortadela e de atum), pães de queijo, pipocas e, surpresa, caldinho de feijão com bacon crocante fizeram parte do menu. Tinha muita comida e para falar a verdade, nem lembro mais de tudo! Sei que as pessoas comeram felizes e a gente passou um longo dia juntos por aqui.

E neste ano reuni os amigos para meu aniversário assim também. Foi muito saboroso, com comidas mais adultas, tortas (AMO de paixão tortas e quiches), vinho, vinagrete com carnes (pois foi em pleno verão), pães artesanais frescos e frios.

dhrdl83 / Pixabay

O buffet pode ter bolos, panquecas, torradas, pães, queijos, patês, geleias, frutas inteiras ou fatiadas, empadões em pedaços, picadinho de carne vermelha ou de frango, ovos mexidos, carpaccio de carne, postas em fatias ou ao vinagrete e sanduíches.

“Dependendo da ocasião pode-se servir um aperitivo ou prosecco, embora sejam indicadas bebidas como sucos, refrigerantes, chás e cafés”, explica a especialista em etiqueta corporativa Maria Inês Borges da Silveira.

slowowl / Pixabay

Em algumas ocasiões, o brunch pode ser mais refinado, os pratos simples são substituídos por mais sofisticados e sobremesas podem ser acrescentadas ao buffet.

“Uma boa dica é organizar a copa, para repor a comida e não esquecer de providenciar gelo para as bebidas. Preparar tudo com antecedência para que saia como o planejado”, finaliza Maria Inês.

Nas festinhas em casa eu fiz isso: tenho um balcão bem grande na lavanderia e coloquei lá microondas, um fogareiro (onde mantive aquecido o caldinho de feijão), um forno elétrico emprestado e o que era fresco sob refrigeração no cooler que costumo levar para churrascos no clube. Assim, cada vez que algo acabava, eu repunha com facilidade.

No outono pude deixar os sanduiches prontos sem embalar um a um, no verão já achei temerário e coloquei-os em saquinhos individuais. Mas cada caso é um e cada região tem suas peculiaridades.

😉

 

 

The following two tabs change content below.

Sam Shiraishi

Cristã, jornalista, mãe de Enzo, Giorgio e Manuela, casada com Guilherme. Paranaense que caiu de amores pela Mooca em 2005. Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena.

Latest posts by Sam Shiraishi (see all)

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *