As roupinhas dos bebês precisam de cuidados especiais

Duas campanhas que vi nas redes sociais nos últimos dias me lembraram dos cuidados com roupinhas de bebê.

Uma é da fanpage Mãe aos 14 (prefiro nem comentar o nome, pois eu estaria fazendo julgamentos!) que sugeria que “roupa usada de bebê não se vende, se doa” e sobre isso eu posso comentar porque não seria julgamento, seria mais uma opinião de quem teve 3 filhos e doou.

Tem roupas da minha caçula que eu confesso, preferia vender. São tão boas e “únicas” que me perguntei por um bom tempo quem usaria! Dos meninos eu tive para quem dar sabendo que usaria bem, mas dela, por serem mais sociais, fiquei na dúvida e guardei até que as amigas certas surgiram.

Agora acho que quem sabe onde vender, pode ser sim uma opção. Perguntei para amigas que me indicaram sites como Enjoei e Repassa para revender roupas em ótimo estado. Outras me indicaram brechós, lojas de rua mesmo.

E sobre as doações, vale botar na roda (como Alcione contou que fazemos nos encontros Mãe com filhos) ou mesmo levar para locais onde possam ser aproveitados.

Armário de inverno, o que temos pra vestir?

Neste inverno eu adotei três estratégias: separei para filhas bebês de amigas, levei as roupas em estado de conservação impecável para serem vendidas em bazares (na IBAB, igreja da qual somos membros, e na festa junina da EMEI onde minha filha estuda) e doei a casa Voz dos Pobres, que fica no Largo São Rafael, aqui na Mooca.

E vejam como a vida é generosa: dias depois das minhas doações, uma amiga querida, de longa data (mãe de amigo de primeira infância do meu filho mais velho, já adulto) me visitou com um guarda-roupa de inverno completo para minha caçula. A filha dela tem 2 anos mais do que a minha e as roupas ficaram perfeitas. A maioria era novinhas, praticamente sem uso, como as que eu passei pra frente. Uma verdadeira corrente do bem!

Ah, Sam, roupa de criança maior é mais fácil, mas como a gente faz a roupa de bebê ficar em bom estado mesmo lavando tanto?

Alguns cuidados diários são necessários, principalmente quando o assunto é garantir que os pequenos estejam sempre com as roupinhas limpas e confortáveis, prevenindo irritações e alergias.  

Compartilho algumas dicas que recebi da Unilver e que achei úteis:

  • Na hora da lavagem, separe as roupinhas do bebê do restante da família ou de qualquer outro tipo de roupa. Isso evita contaminação (os adultos frequentam locais onde o bebê nem sempre deve ir) e também alivia o excesso de produtos para higienizar. Lembra das dicas que deixamos outro dia sobre a lavação das roupas?
  • Caso as roupinhas estejam com manchas de comidas ou bebidas, aplique uma pequena quantidade de sabão líquido direto na mancha e espalhe com os dedos. Eu lavo com sabão de coco em barra, pois sou super alérgica, mas funciona super bem também. Depois lave a peça como de costume.
  • Se forem peças delicadas, coloque-as em sacos protetores de tecidos ou fronhas para evitar o desgaste das roupas durante a lavagem. E olha, manter estes sacos, que podem ser substituídos até por uma fronha se vc não tiver o saco certo, ajuda a cuidar das roupas delicadas! Uso muito em roupas de malha (tricô ou crochê) e separo meus sutiãs também, pois os ganchinhos estragam muitas roupas quando lavados junto com a roupa normal).
  • Lave as roupinhas na máquina para garantir um enxágue eficiente e não abuse do amaciante.
  • É importante se atentar à pele sensível do bebê – que muitas vezes sofre com irritações. Opte por detergentes e amaciantes que tenham testes dermatológicos que comprovem o uso seguro e que tenham fragrâncias suaves e sejam hipoalergenicamente testados, especialmente nos primeiros seis meses de vida do bebê.
  • Siga as instruções das etiquetas das roupas e a dosagem correta dos produtos.
  • Selecione o ciclo roupas delicadas na máquina de lavar sempre que for lavar as roupas do bebê. A sujeira mais pesada (que no caso do bebê é um escape da fralda ou um regurgito) você tira esfregando na mão mesmo, amiga, antes de colocar na máquina.
  • Se for lavar a mão, não torça as peças, apenas aperte para tirar o excesso de água, pois torcer estraga muito as fibras da roupa!
  • Seque as peças brancas ao sol e as coloridas à sombra e local arejado.
  • Na hora de arrumar as roupinhas que ficam penduradas em cabides, organize-as de acordo com a cor e também com o tipo de uso.

Agora, como último recado: na dúvida, doe! Passe seu amor adiante!

<3

Melhor outfit do inverno! Adorei a campanha do governo gaúcho. Como não lembrar do #postnoblog no qual @alcita_ribeiro contou das nossas trocas #maecomfilhos? http://www.maecomfilhos.blog.br/2018/05/armario-de-inverno-o-que-temos-pra-vestir.html #reutilizar #ressignificar #consumoconsciente #solidariedade #maecomfilhos #colunistasmaecomfilhos . . . Entenda: Na última semana, alguns vídeos viralizaram nas redes ao mostrar jovens ricos apresentando suas roupas e acessórios caríssimos. Ficaram conhecidos como "Quanto Custa o Seu Outfit?". A gente acha que chique mesmo é ostentar solidariedade. Que tal ajudar a montar um look do dia para alguém que precisa? Apostamos que tem muita coisa legal no seu guarda-roupa =) Participe da Campanha do Agasalho e mostre que o melhor "outfit" é aquele que ajuda quem mais precisa. ❄️☔️💨🧤🧣🧦

A post shared by Blog @maecomfilhos (@maecomfilhos) on

The following two tabs change content below.

Sam Shiraishi

Cristã, jornalista, mãe de Enzo, Giorgio e Manuela, casada com Guilherme. Paranaense que caiu de amores pela Mooca em 2005. Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena.

Latest posts by Sam Shiraishi (see all)

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *