Bubu e as Corujinhas

Indo para escola nesta semana, nossa filha de 4 anos viu periquitos numa árvore da rua e comentou:

“Sabe, papai, eles estão camuflados nas folhas, isso se chama mimetismo.”

Na hora meu marido quis saber de onde veio esse conhecimento científico, claro!

Ela respondeu na lata:

“Vi em Bubu e as corujinhas.”

 

Eu tinha visto este novo desenho que está na grade de TV Cultura, mas não tinha pesquisado quem o produzia e o que tinha por trás do projeto. E preciso explicar: como jornalista, eu me informo sim de tudo que posso, especialmente se meus filhos assistem. E na infância, procuro ver tudo junto. 

Eis que soube que em apenas dois meses na TV Cultura, que também tem na grade vários sucessos do canal Nickelodeon, o desenho tem feito grande sucesso, repetindo o feito de outras mídias.

Saiba mais:

  • O programa da Up! Content Co., uma empresa com foco em criação de conteúdo e licenciamento de marcas de personagens originais brasileiros, parte do Grupo Uatt? (é, aquele das lojas com coisas bonitinhas!).
  • O desenho é Top 5 dos conteúdos mais acessados da plataforma Playkids e conta com quase 200 mil visualizações no Youtube, além de passar nos canais Disney Channel e Disney Junior em toda América Latina.
  • A coruja Bubu é uma personagem criada pelo artista plástico Luciano Martins, radicado em Santa Catarina, para a marca de produtos para presentes.
  • Inicialmente, no final de 2017, foram feitos 26 episódios de 11 minutos cada, dublados em português e espanhol.
  • Os episódios foram musicados em parceria com o maestro Zago, da Camerata de Florianópolis, e o compositor e escritor Barboza.
  • A animação foi desenvolvida pelo estúdio Belli Studio, de Blumenau, e a produção executiva é do estúdio Plot Kids, de Florianópolis.
  • O roteiro foi criado por Marcela Catunda, dos desenhos “Show da Luna” e “Peixonauta”.

 

The following two tabs change content below.

Sam Shiraishi

Cristã, jornalista, mãe de Enzo, Giorgio e Manuela, casada com Guilherme. Paranaense que caiu de amores pela Mooca em 2005. Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena.

Latest posts by Sam Shiraishi (see all)

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *