Retrospectiva 2017 e o que eu espero de 2018

Meu post de hoje (e o primeiro de 2018) vai ser um pouquinho diferente do que eu costumo escrever

2017 teve muita coisa boa e algumas situações chatas (acho que pra todo mundo, né?)

Meus melhores momentos de 2017, segundo o #bestnine2017

Das coisas boas

posso colocar no topo da lista o tanto de posts legais que pude escrever aqui pro #maecomfilhos (obrigada de novo, Sam, pelo carinho, acolhimento e confiança <3 Não tenho palavras suficientes pra agradecer a oportunidade)

Na virada do ano, fiz um balanço das coisas boas e também das coisas ~chatas que aconteceram no ano e achei legal valorizar as coisas boas e anotar as não tão boas pra lembrar de não cometer os mesmos erros nesse ano novo que tenho pela frente.

Dentre as muitas coisas que me fizeram ver 2017 como um ano mais positivo do que negativo foi ter feito terapia (aqui o meu muito obrigada à nossa mãe-psicóloga Nivia, que me acolheu e aconselhou em 2016 <3 ). Apesar de ter me redescoberto como mulher (além de mãe) quando me separei, 4 anos atrás, achei que foi muito mais significativo passar por esse processo de novo com um olhar de alguém que me ouviu sem preconceitos. Analisei muitos pontos envolvendo minha infância, meus pais e familiares e foi muito significativo e construtivo perceber os padrões negativos que acabamos desenvolvendo.

Sair sozinha ou com amigos também entra na conta de coisas positivas de 2017 (apesar de ter saído muito menos do que em 2016)

Também coloco no balanço das coisas boas, ter parado de falar com o pai do #mininerd. Por ele ser uma dessas pessoas que “sugam” sua energia, te deixam pra baixo e cansada (eu, sei não é legal falar assim do pai do meu filho mas, infelizmente, é a verdade. E o tanto de abuso psicológico que ele já me causou, achei desnecessário manter uma relação cortês com alguém que não me faz bem nenhum) Por sorte, minha tia (<3), essa querida, se ofereceu para fazer o intermédio das trocas de informação necessárias para o bem estar do pequeno.

 

Aqui deixo um texto muito valioso da Sam, que me fez pensar e entender que algumas relações precisam de um fim, para o bem, se não de todos, pelo menos o seu 😉

Percebi a evolução dos meus desenhos no inktober (incompleto </3 ) e incluí na lista de coisas para fazer em 2018: manter uma frequência maior de ilustrações durante o ano todo e não só em outubro (hahah)

 

Agora vamos às coisas chatinhas

2017 foi o ano em que furtaram meu celular e minha bike. Pois é, depois de 10 anos morando em SP, foi a primeira vez que precisei fazer ocorrência por furto.

Tive tendinite por bordar feito uma doida (e agora já sei que devo fazer os bordados com parcimônia)

Ter dividido minhas férias também se provou um err(inh)o grosseiro de minha parte. Claro que precisava de um “respiro” no meio do ano, mas paguei o preço em dezembro, ao constatar que teria quase nenhum dia para descansar depois da viagem à Ubatuba

 

Agora, o que eu espero fazer em 2018

  • Arrumar uma bike nova
  • Fazer a fisioterapia que deixei passar ano passado
  • Viajar mais
  • Voltar a nadar (agora que tenho carteirinha do Sesc de novo)
  • Ler mais
  • Desenhar mais
  • Costurar mais (e com parcimônia!)
  • Fazer um dos cursos de ilustração do Hiro Kawahara
  • Fazer bordados com agulha mágica (esse com certeza vai virar post)
  • Fazer um curso de corte e costura (que também vai virar post rs)
  • Concluir o inktober

 

E, claro, tinha que ter uma bobeira minha rs

 

(Só depois de escrever tudo isso me dei conta do tanto que falei de mim mesma e praticamente não falei do pequeno. Não quero criar expectativas infundadas em relação a ele. Espero só que este ano seja mais leve e tranquilo para ele do que foram os anos passados)

 

E deixo aqui outras reflexões da Sam pra esse começo de ano 😉

 

 

 

E vocês, o que esperam deste novo ano que começa? 

Um ótimo 2018 pra todos 😉

Cristina Sano

30 anos, mãe do Daniel Akira, #mininerd , #aos7 , designer de profissão e jornalista de formação. Costuro, cozinho, troco spot de luz e acredito em tudo aquilo que é feito com amor.
Nerd, fã de Doctor Who e sci-fi, ouvinte de podcasts, consumidora de conteúdos do Youtube e Netflix e ciclista iniciante na arte de andar por São Paulo de bicicleta 😉
Responsável pelo conteúdo envolvendo costuras e artesanatos para fazer com e sem os filhos com a tag #mamaecrafter

The following two tabs change content below.

Cristina Sano

30 anos, mãe do Daniel Akira, #mininerd , #aos7 , designer de profissão e jornalista de formação. Costuro, cozinho, troco spot de luz e acredito em tudo aquilo que é feito com amor. Nerd, fã de Doctor Who e sci-fi, ouvinte de podcasts, consumidora de conteúdos do Youtube e Netflix e ciclista iniciante na arte de andar por São Paulo de bicicleta 😉 Responsável pelo conteúdo envolvendo costuras e artesanatos para fazer com e sem os filhos com a tag #mamaecrafter

Latest posts by Cristina Sano (see all)

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *