Se Joga na Vida

Domingo de sol em pleno inverno, brincando com meu filho na beira da piscina, coloquei meus pés na água. Tirei numa rapidez incrível, constatando: impossível entrar. Apesar do sol gostoso, a água estava de congelar!

Mas meu pequeno, na época com 3 anos, também quis colocar os pés na piscina e constatou: “que delícia, né mãe?”. Como 99,9% das crianças ele ama brincar com água e queria me convencer a deixá-lo entrar. Mais alguns minutos no sol, acabei cedendo – certa de que ele não aguentaria ficar mais do que um minuto.

Registro da diversão na água gelada

Ele entrou, caminhou dois passos e se jogou para “nadar”. Assim, sem hesitação alguma. E foi de um lado ao outro batendo os pés e me fazendo encolher ante os respingos gelados que me acertavam.

Antes de acabar com a brincadeira (achei que a coragem demonstrada merecia alguns minutos de diversão), fiquei divagando em como as crianças se jogam felizes no que desejam, nas coisas que gostam, na vida!

Lembrei  das incontáveis vezes em que meu filho anda grandes distâncias, ou vai e volta mil vezes entre quarto e sala para buscar algo. Simplesmente ele não tem preguiça se é para pegar um brinquedo “essencial” para a história do momento ou qualquer outro objetivo que tenha.

Não sei quando a gente perde isso, mas acompanhar o desenvolvimento do meu filho me leva a refletir sobre estas características que a gente deixa na infância – e não deveria.

Niko_Shogol / Pixabay

Quantas vezes você quis nadar e desistiu pelo frio um pouco acima do esperado? Quantas vezes deixou de fazer algo porque estava um pouco longe e deu preguiça de caminhar? Quantas vezes nem terminou de sonhar, já antecipando o trabalhão que daria? Quantas vezes cancelou uma happy hour com pessoas que queria ver, só porque estava chovendo? Quantas vezes desejou jantar de forma especial ou mesmo tomar um drinque num fim de tarde na praia, e desistiu por causa do trânsito que poderia pegar?

Não sabemos até quando vai a nossa vida, mas ela pode ser breve. E talvez, se você tem uma lista enorme de “lista de desejos”, mesmo que ela seja longa, o tempo será pouco para resolver tudo. Então não dá para adiar as coisas por bobagens.

Se joga na vida! Vá atrás dos seus sonhos, coma hoje sua sobremesa favorita, encontre seus amigos, use a roupa especial, faça aquela viagem, tome um banho de piscina ou de mar – mesmo que gelado – e seja feliz.

The following two tabs change content below.

Viviane Koyama

Latest posts by Viviane Koyama (see all)

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *