Pinacoteca, arte moderna e contemporânea para crianças

Há uma grande confusão sobre criança e museu, nudez e obras de arte e muito mais nos últimos tempos por aqui.

Acho uma pena porque, de um lado, distanciou ainda mais as crianças de famílias que não eram adeptas deste tipo de consumo de cultura dos espaços culturais e, por outro, criou um estigma de que quem (como seu) se posicionou contra a criança pequena “tocar um homem nu ao vivo” ser visto como uma pessoa que quer ocultar todas as obras de arte que tenham corpos nus.

Dos dois lados há preconceito motivado por três coisas: ignorância, falta de empatia e orgulho de quem se acha dono da razão.

Mas a gente persiste, né?

E como tem feriados neste mês, trago uma dica de um dos primeiros espaços culturais dos quais meus filhos bem pequenos (com 2 e 4 anos) se apropriaram aqui em São Paulo: a Pinacoteca.

Sem planejar, acabou sendo um espaço cultural emblemático da arte moderna e contemporânea!

A Pinacoteca do Estado é um museu de artes visuais, com ênfase na produção brasileira do século XIX até a contemporaneidade, pertencente à Secretaria de Estado da Cultura. Fundada em 1905 pelo Governo do Estado de São Paulo, é o museu de arte mais antigo da cidade. Está instalada no antigo edifício do Liceu de Artes e Ofícios, projetado no final do século XIX pelo escritório do arquiteto Ramos de Azevedo, que sofreu uma ampla reforma com projeto do arquiteto Paulo Mendes da Rocha, no final da década de 1990.

Mudamos para São Paulo em 2005 e eu nem sabia que a região da Luz era tão perigosa, então, vejam só, usava muito o trem para ir lá!

(risos)

E valeu a pena!

Vimos tantas coisas incríveis na Pinacoteca!

Tarsila do Amaral (que depois revisitamos no Malba, em Buenos Aires) e Candido Portinari (que sempre apreciamos também no MASP) são dos dois artistas que mais nos marcaram!

http://www.avidaquer.com.br/ja-que-o-abapuru-mora-por-aqui-fomos-visitar/

20131213-214434.jpg

E também ficamos impressionados depois de conhecer a Coleção Itaú Brasiliana, com 300 itens de uma coleção iniciada na década de 1970 pelo empresário Olavo Setubal.

Itaú Brasiliana na Pinacoteca #recomendo

Foi uma experiência incrível também ver O Florescer das Cores: A Arte do período Edo, com objetos produzidos ao longo do período Edo (1603- 1867), que teve como principal característica a dominação do xogunato Tokugawa (governo militar centralizado) e o isolamento quase completo do Japão em relação ao resto do mundo. É meu período favorito na história do país de meus avós, especialmente depois da leitura do livro Musashi (de Eiji Yoshikawa, ed. Estação Liberdade), que retrata o início do xogunato após a batalha de Sekigahara. Mas uma boa noção do final do período está no filme O último samurai.

Ficou com vontade de ir lá com os filhos?

A Pinacoteca realiza cerca de 30 exposições e recebe aproximadamente 500 mil visitantes a cada ano. O primeiro andar recebe as exposições temporárias e o segundo é dedicado a mostra de longa duração de nosso acervo. A área central abriga o Projeto Octógono Arte Contemporânea, e no térreo estão as áreas técnicas, o auditório e a cafeteria. Desde 2006 é administrada pela APAC – Associação Pinacoteca Arte e Cultura.

O foco principal de todo trabalho desenvolvido pela Pinacoteca do Estado de São Paulo é aprimorar a qualidade da experiência do público com as artes visuais por meio do estudo, salvaguarda e comunicação de seus acervos, edifícios e memórias; da consolidação e ampliação desses acervos; e do estímulo à produção artística.

E nestes feriados a Pina tem uma programação especial com entrada gratuita para todos, todos os dias: 02, 03, 04, 15, 16, 17, 18, 19 e 20 de novembro de 2017.

Programação:

ManualNaPina – Mercado Manual
Dia 04 e 05 de novembro
O Mercado Manual é um festival de artesãos, designers e pequenos produtores, que têm seus projetos autorais criados manualmente e em pequena escala. Além do consumo ético, o Mercado é um programa cultural familiar completo, com atrações musicais e oficinas gratuitas sobre manualidades.

04.11 (Sábado) – PINACOTECA ABERTA ATÉ AS 20H
– 10h Abertura do Mercado
– 11h Oficina de Cosmética Natural – Anna Candelária da Sabon Sabon
– 13h Show infantil – Trupe Pé de Histórias
– 15h Oficina de pintura em banquinhos de madeira – Ju Amora
– 17h00 Show – Yannick Delass
– 18h30 Oficina de crochet – Coletivo NaLã
– 20h Encerramento

05.11 (Domingo)
-10h Abertura do Mercado
-10h30 Design e Manualidade – conversa com Nicole Tomazi
-13h Show infantil – Cia Meu Corpo Meu Brinquedo
-14h Oficina de tricô de braço – Cris Bertoluci
-16h30 Show – Nicolas Krassik
– 18h Encerramento

Exposições:

Di Cavalcanti 120 anos – No Subúrbio da Modernidade
Um dos mais importantes artistas do modernismo brasileiro, Emiliano Di Cavalcanti é tema de mostra retrospectiva na Pinacoteca de São Paulo. “No subúrbio da modernidade – Di Cavalcanti 120 anos” está em cartaz desde o dia 2 de setembro de 2017, mês em que se comemora 120 anos do nascimento do artista. Entre pinturas, desenhos e ilustrações, serão exibidas mais de 200 obras, realizadas ao longo de quase seis décadas de carreira e que hoje pertencem a algumas das mais importantes coleções públicas e particulares do Brasil e de outros países da América Latina, como Uruguai e Argentina.

Ábum – Mauro Restiffe – (ÚLTIMA SEMANA – Pina_Estação)
Inaugurada no dia 5 de agosto, “Álbum” é a primeira exposição panorâmica da obra de Mauro Restiffe em um museu brasileiro. Com curadoria de Rodrigo Moura, Álbum parte de uma pesquisa sobre o arquivo do artista e inclui somente imagens nunca antes apresentadas em exposições. Trata-se, assim, de uma retrospectiva de obras inéditas, em uma confluência original de diferentes assuntos e interesses, tempos e dicções. O trabalho fotográfico de Restiffe é apresentado em diálogo com pinturas selecionadas dos acervos da Pinacoteca e do MASP e é dividido em grupos de obras, cujos interesses vão da paisagem ao retrato, da abstração à arquitetura, da política ao cotidiano.

Rotorama
Desenvolvida por Daniel Acosta, a obra “Rotorama” consiste numa plataforma redonda de madeira com nove metros de diâmetro e 32 centímetros de altura que gira muito lentamente ao redor do seu próprio eixo. A instalação, que ocupa o Octógono da Pinacoteca de São Paulo, é inspirada em um trabalho exposto pelo artista em 2008.Inédita, foi desenvolvida exclusivamente para este espaço.

Ensaio de Tração (Pina_Estação)
Mostra coletiva de vídeos produzidos por artistas brasileiros que se dedicam a explorar os limites da linguagem audiovisual, a exposição “Ensaio de Tração” nasceu do desejo de mostrar pela primeira vez na Pina a obra “Da janela do meu quarto” (2004), de Cao Guimarães. A obra entrou para o acervo do museu em 2015 pelo Programa de Patronos da Arte Contemporânea. A partir deste vídeo foram reunidos trabalhos de outros artistas, entre eles “Nau” (2017), de Cinthia Marcelle e Tiago Mata Machado, comissionado pela Fundação Bienal de São Paulo para ser apresentado no Pavilhão do Brasil na 57ª Bienal de Veneza e agora exibido pela primeira vez no Brasil, além de “Terreno” (2014), de Janaina Wagner, “9493” (2011), de Marcellvs L., e “Thierry” (2012), de Wagner Morales.

Exposições de Longa Duração:
Coleção Roger Wright – Vanguarda brasileira dos anos 1960
Galeria José e Paulina Nemirovsky – Arte moderna
Arte no Brasil: Uma história na Pinacoteca de São Paulo

Pina_Luz
Praça da Luz, n° 2.
11 3324-1000

Pina_Estação
Lg. General Osório, n° 66
11 3335-4990

The following two tabs change content below.

Sam Shiraishi

Cristã, jornalista, mãe de Enzo, Giorgio e Manuela, casada com Guilherme. Paranaense que caiu de amores pela Mooca em 2005. Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena.

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *