Dia Mundial do Diabetes

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), desde 1980 o número de pessoas vivendo com diabetes quadriplicou e alcançou os 422 milhões (em 2014), especialmente em países em desenvolvimento. No Brasil, são aproximadamente 14 milhões de diabéticos, sendo que metade não sabem que são portadores da doença ou não conhecem as formas de prevenção e tratamento.

A diabetes é classificada em dois tipos, 1 e 2.

O tipo 1 é uma patologia genética autoimune, que ocorre ao acaso, onde o individuo nasce com anticorpos contra as células do pâncreas, e com isso desenvolve a doença por falência na produção de insulina.

 

Já o tipo 2 está relacionado com a herança familiar e com o estilo de vida. Essa é a variação que mais vem crescendo e mostra que os números alarmantes das pesquisas estão associados aos maus hábitos da vida moderna, como o sedentarismo, estresse e dietas inadequadas, colaborando para a propagação da doença que está na lista das principais causas de morte no mundo.

 

Já falamos também da diabetes gestacional, lembram-se?

Diabetes gestacional: saiba mais sobre causas e consequências

Seja qual for o tipo, sempre exige muitos cuidados!

Segundo a endocrinologista Raquel Resende, da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, as complicações decorrentes da diabetes podem ser devastadoras.

“As consequências são várias e podem atingir partes importantes do corpo, como os rins, olhos, vasos sanguíneos, circulação e nervos. Além disso, infarto agudo do miocárdio, AVC e amputações também são complicações frequentes nos diabéticos mal controlados.”

É crescente o número de crianças com diabetes tipo 2. Segundo a American Diabetes Association, há 50 anos, 3% de todos os casos ocorriam em crianças e adolescentes.

Essa faixa etária já corresponde a 30 em cada 100 casos.

“Hoje em dia estamos vendo cada vez mais crianças e adolescentes já com o diagnóstico de diabetes tipo 2 ou pré-diabetes, desenvolvidas a partir de fatores como obesidade, sedentarismo e maus hábitos alimentares.”

Fique atento aos sintomas:

  • Sede excessiva
  • Micção frequente
  • Fome
  • Cansaço
  • Visão turva

Como prevenir o Diabetes tipo 2?

  • Evitar a ingestão de açúcares e gorduras em excesso
  • Praticar atividades físicas
  • Adotar uma alimentação equilibrada
  • Monitorar periodicamente os níveis de glicemia no sangue
  • Controlar o stress
  • Cuidar do sono

A prática esportiva na primeira infância pode ser uma alternativa ao aumento da obesidade

Deixo aqui alguns vídeos para quem desejar saber mais:

O endocrinologista pediátrico Sebastião Schimidt Neto explica a diferença dos tipos que surgem na infância:

O médico Everton Gomes e a nutricionista Marina Nogueira dão dicas de como cuidar e tratar a diabetes durante a infância:

 

E uma coisa que a gente nem pensa, mas é verdade: cedo as crianças diabéticas aprendem a se cuidar!

Recebi a revistinha e lembrei do Dia da Diabetes por uma gentileza da Abbot que me mandou dados do seu FreeStyle Libre, um glicosímetro que não precisa “furar o dedinho” e está liberado para crianças a partir de 4 anos.

😉

 

The following two tabs change content below.

Sam Shiraishi

Cristã, jornalista, mãe de Enzo, Giorgio e Manuela, casada com Guilherme. Paranaense que caiu de amores pela Mooca em 2005. Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena.

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *