Terrible Two: idade da birra e do choro. Será?

Gostamos muito quando especialistas indicam conteúdos autorais no nosso grupo do Facebook. Foi o caso deste vídeo da neuropsicopedagoga Debora Corigliano, autora do livro  Orientando Pais, Educando Filhos. e professora no  Instituto Brasileiro de Formação de Educadores- Campinas .

Descobri o trabalho dela por conta deste update que acho interessante:

Mas, voltando aos dois aninhos…

Para minha sorte, quando tive meus filhos mais velhos, ainda não existiam tantos blogs, iGs, grupos (nem Orkut tinha no ano 2000!) e por isso vivi esta idade sem saber que deveria “temer a adolescência do bebê”.

Acho que isso me deu tranqüilidade para reagir ao que parece ser natural nesta fase em que o bebê ganha autonomia de criança, mas ainda não tem experiência de vida para agir com alguma sabedoria (ou com medo das consequências).

“Nas proximidades do aniversário de 2 ou 3 anos (algumas vezes um pouco antes, outras vezes muito depois dele), alguns pais vêem-se às voltas com novos desafios no desenvolvimento e criação dos seus filhos. Aquele bebê fofo, dócil e curioso, parece ter sido abduzido por ETs e substituído por um “gremlin” tresloucado. De repente, a criança quer fazer todas as suas atividades sozinha, mesmo que ainda não tenha capacidade para muitas delas. Parece não querer aceitar a rotina e as regras impostas pelos adultos, e sim fazer as suas próprias regras. Se você perguntar à criança se ela quer escovar os dentes ou tomar banho, corre o sério risco de ouvir um “NÃO!” em resposta. O mesmo ocorre se você lhe perguntar se ela quer fazer uma refeição ou ir pra cama: mesmo que a criança esteja visivelmente morrendo de fome ou sono, é bastante provável que ela se negue a fazê-lo.”
citação de texto de Taicy Ávila, psicopedagoga

 

Enfim, os dois anos chegam, a birra e o choro também! Debora Corigliano garante que a idade dos dois anos não precisa ser temida e que podemos passar por isso com muita calma e assertividade. Veja no vídeo:

E se você tiver histórias e dicas para compartilhar, envie para nós!

The following two tabs change content below.

Sam Shiraishi

Cristã, jornalista, mãe de Enzo, Giorgio e Manuela, casada com Guilherme. Paranaense que caiu de amores pela Mooca em 2005. Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena.

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *