Você já ouviu falar de exercícios para o assoalho pélvico?

Com o envelhecimento, o corpo humano começa a perder as forças musculares e isso também ocorre com o músculo do assoalho pélvico, uma estrutura formada por 13 músculos, fáscias e ligamentos que formam uma rede de sustentação e está localizado entre o osso púbis e o cóccix (toda a região da bacia).

Esse músculo faz a sustentação dos órgãos localizados na cavidade pélvica.

Bexiga, reto, órgãos reprodutivos femininos e a próstata.

 

Quando ocorre alguma alteração na musculatura pélvica resulta em disfunções como:

– Incontinência de flatus (gases involuntários);

– Incontinência urinária e fecal (Perda involuntária de urina e fezes);

– Prolapso (bexiga caída);

– Dor durante a relação sexual;

– Ejaculação precoce;

– Contração involuntária do assoalho pélvico que dificulta a penetração;

– Disfunção erétil;

– Dor pélvica crônica (geralmente consequência de Endometriose).

Os fatores que causam essas disfunções são:

– Envelhecimento;

– Procedimento cirúrgico;

– Obesidade;

– Gravidez;

– Parto;

– Menopausa;

– Algumas pessoas desenvolvem por causa de um fator genético;

– Algumas por causa do tipo de colágeno.

Sabiam que podemos fazer alguns exercícios para fortalecer esta região?

 

Não existe um exame específico que detecta a perda de força da musculatura do assoalho pélvico. Depende muito do paciente falar sobre as mudanças que vêm ocorrendo, principalmente a incontinência urinária que não é normal e a mais fácil de perceber. O médico deve ser procurado imediatamente para dar o diagnóstico e iniciar o tratamento.

O trabalho mais eficaz é o multidisciplinar com médico, fisioterapeuta, psicólogo e nutricionista.

😉

The following two tabs change content below.

Sam Shiraishi

Cristã, jornalista, mãe de Enzo, Giorgio e Manuela, casada com Guilherme. Paranaense que caiu de amores pela Mooca em 2005. Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena.

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *