Abandone sua lista oficial de desculpas!

Desde muito pequena tive uma vida dedicada ao esporte, quer seja como bailarina, jogadora de vôlei ou como praticante “xereta” que hoje sou. De lá pra cá, tive altos e baixos… Anos de mais dedicação, outros bem menos intensos, mas desde muito nova nunca duvidei dos benefícios do exercício físico contínuo e programado.

A prática regular de uma atividade física, seja ela qual for, é o melhor de todos os remédios preventivos e promotores da qualidade de vida e bem estar. Sem contar os ganhos visíveis no físico, como força, destreza, mobilidade, flexibilidade, resistência, energia, e outros. E também no bem estar psicológico: com melhoria do humor, da concentração, auto estima, auto confiança , auto imagem, liberação de stress, etc, etc, etc.

Mas, se é assim tão incrível, por que será que muita gente ainda resiste?

A resposta é simples: porque para ganhar todos os esses benefícios, não basta tomar um “comprimido” milagroso que nos faz mudar do dia para noite. O que faz a diferença para cumprir, aos menos, 30 minutos todo dia de alguma atividade física, precisamos de uma boa dose de força de vontade, esforço, motivação e dedicação. No final, quase tudo se resume ao querer ou não querer. E pouco (ou nada) tem a ver com: “gostaria muito, mas não posso” ou “quem me dera ter tempo”.

Com a correria do nosso dia, em algumas áreas da nossa vida, somos exímias em encontrar uma lista oficial de desculpas que nos servem. “Não tenho com quem deixar o pequeno”; “Meu marido está me esperando pro jantar”, “Estou cansada demais para mais uma atividade”… Recitamos com toda a veemência uma lista que justifica com uma lógica fria (e quase racional), a razão pela qual não nos propomos a tornar a prática do exercício físico algo que valorizamos e incluímos na nossa vida.

Mesmo essa “pobre mortal que vos escreve”, e tenho certeza que algumas outras pessoas que já praticam esportes, recorrentemente têm recaídas ou diminuição na sua assiduidade… A diferença é que a gente sente na pele que ao ser cortado o período dedicado ao corpo, o humor diminui, os problemas aparecem e o próprio corpo reclama.

É realmente intrigante como sabotamos nossas próprias decisões, escolhas ou objetivos. Às vezes, até pode ser inevitável um “cano” na academia, mas na grande maioria das vezes, isso não passa de uma desculpa bem fundamenta para não ir. No fundo, você já decidiu… Então, como melhorar nossa atitude para uma resolução favorável à prática do exercício físico?

Vou misturar no nosso papo de hoje minha experiência como coach e como atleta e espero que vocês curtam e se inspirem…

Certamente, existem muitas estratégias que podem funcionar, mas uma coisa é certa: só funcionarão se as experimentarmos. O problema é que na grande maioria das vezes, quem está com preguiça simplesmente se bloqueia a sair de casa. Então, fica ligada na sua lista oficial de desculpas… Aqueles sinais de alerta que você leva em consideração e que acabam te impedindo de seguir com o seu plano de praticar algum exercício físico.

Vamos ver os principais?!?

1. “Estou sem tempo” – As horas livres são cada vez mais escassas, porém poucos minutos na semana dedicados à malhação já trazem benefícios. Os treinos de curta duração e alta intensidade são muito úteis para aquelas pessoas que não podem exceder uma hora de treino em uma academia. Basta um pouco de planejamento. Desculpa 1, vencida!

2. “Não tenho dinheiro” – Apenas para citar dois exemplos, a ciência aponta a caminhada e a corrida como grandes aliadas da saúde. E ambas quase não pesam no bolso. Encontre uma praça pertinho de casa, um parque legal e pés pra que te quero. Outra alternativa é procurar no Youtube vídeos com aulas de dança e acompanhar os passos, em casa mesmo! Ou seja, mexa-se e deixe a desculpa 2 pra trás…

3. “Estou muito velha” – Suar a camisa deixa ossos e músculos vigorosos, algo importante para garantir a movimentação e, assim, a independência dos idosos. Sem essa de idade. Na academia que frequento, me inspiro diariamente com senhoras de mais de 70 anos super ativas. Desculpa 3, sem chance de me convencer!

4. “Não quero malhar sozinha” – Se você não conseguiu convencer uma amiga ou seu companheiro a te acompanhar, saiba que clubes e salas de ginástica, são ótimos locais para fazer amigos, sem contar os grupos em que você se inscreve e, então, pedala ou corre com um monte de gente. Pode esquecer essa desculpa também!

5. “Sofro com uma doença” – Opa! Essa é um pouco mais séria… Cada quadro exige um cuidado, mas está provado que a atividade física aplaca sintomas e até ajuda na recuperação de infarto, câncer, depressão… Portanto, converse com seu médico, encontre alguma atividade que lhe traga prazer e não se entregue a mais essa desculpa.

6. “Odeio exercícios” – O corpo, quando colocado para trabalhar, produz substâncias que trazem bem-estar. Ou seja, o que antes era uma prática chata se torna algo bastante prazeroso. Não desista nas sessões iniciais, geralmente as mais penosas. Experimente várias modalidades até encontrar uma que se encaixe no seu perfil. Se não gosta da musculação, faça uma aula de step. Se não gosta de step, escolha uma luta. Se não gosta de luta, faça natação. Se não quer molhar o cabeço, corre na rua. Se não quer correr, dance. Só não desista.

 7. “Vivo cansada” – Não é raro ouvir as pessoas comentando que não aguentam ir para a academia à noite, pois chegam tarde e cansadas de seus trabalhos. Ou que a rotina com os filhos é desgastante. Uma sugestão é levantar um pouco mais cedo e ir malhar antes do trabalho ou ainda, sair do trabalho e ir direto para a academia. Por isso, já deixo minha ‘malinha’ no carro com a troca de roupa e não deixo o cansaço me segurar. Experimente. Você vai perceber que essa desculpa perde a força com o tempo.

8. “Morro de medo de lesões” – Se bem orientados, os exercícios, em vez de aumentar o risco de contusões, servem como uma forma de preveni-las. Afinal, eles fortalecem a musculatura e melhoram o equilíbrio. Lembrem-se que mulheres têm uma tendência à osteoporose e que a atividade preventiva é o melhor caminho.

9. “Estou bem com o meu corpo” – Algumas mulheres dizem que não vão à academia, simplesmente, porque estão satisfeitas com o corpo: não querem nem emagrecer, nem ganhar peso. Mas lembre-se: a atividade física traz benefícios que vão além da estética.

E claro, no nosso caso:

10. “Não tenho com quem deixar as crianças” – Ser mãe não é mesmo uma tarefa fácil. Muitas mulheres têm dificuldades em encontrar um horário para ir à academia, pois precisam ficar em casa cuidando dos pequenos. Mas, ainda assim, essa não é uma desculpa para ficar sem se exercitar. Uma boa alternativa é fazer um programa com seu filho: que tal levá-lo para caminhar com você? Caso a criança faça alguma atividade além da escola, como aulas de Inglês, Informática etc., você pode levá-lo ao local e já ir direto para a academia, aproveitando este tempo livre para fazer um treino, ainda que rápido. Outra solução é pesquisar se na sua cidade existe alguma academia que tenha espaço para receber as crianças enquanto você malha – muitas contam com espaço kids.

O mais importante nesse momento é fugir das desculpas que sua própria mente cria. Quando queremos algo, encaixamos essa vontade no nosso tempo. Não coloque o exercício no fim da sua lista de coisas a fazer. Não se engane a si mesma. Comprometa-se com o seu desejo. E se você está embarcando numa nova rotina, e pretende de uma vez por todas ser assídua ao programa de exercício físico, é importante que se comprometa a segui-lo durante um período. Comece com 3 ou 6 meses. Isso porque quando você conseguir manter a sua prática regular, o exercício irá se tornar parte da sua rotina, e diminuirá sua probabilidade de desistir. Simbora começar?

The following two tabs change content below.
41 anos, mãe do Marcello #aos20 e do Lucca #aos12. Pedagoga por formação, educadora por vocação, empreendedora por opção e uma eterna apaixonada por toda forma de desenvolvimento humano. A paixão pelo mundo fitness surgiu depois de uma depressão e hoje, o estilo de vida saudável contagia sua vida na família, nos negócios e por onde vai. Não cozinha, não gosta das atividades “do lar”, mas vive a rotina da casa como qualquer outra “dona da casa” moderna que concilia mil e uma atividades e é feliz assim, sem culpa. Coach, mentora de pequenos negócios e autora do blog Lounge Empreendedor, não abre mão da academia todos os dias, seja as 5:00a.m. ou as 11:00p.m. No Facebook: LoungeEmpreendedor e no Instagram: @AninhaCoelho

Latest posts by Ana Maria Coelho (see all)

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *