Teste do pezinho

Desde a gravidez, os pais se preocupam com a saúde do bebê que está por vir. Durante a gestação, são realizados diversos exames pré-natais para prevenção e monitoramento de doenças. Porém, os cuidados devem continuar após a chegada do mais novo membro da família. Após o nascimento, vários testes são feitos para detectar doenças graves. Um dos mais importantes é a triagem neonatal, conhecida popularmente como Teste do Pezinho.

A triagem neonatal é fundamental para detectar doenças graves em recém-nascidos, possibilitando tratamento específico e imediato.

Este exame identifica doenças metabólicas, genéticas e infecciosas, que não são detectadas apenas por exame clínico. Desde 1960, a Organização Mundial da Saúde (OMS) reafirma a importância da realização da triagem neonatal e incentiva a criação de programas nacionais que definem critérios para o exame. Em 2001, foi implementado no Brasil, o Programa Nacional de Triagem Neonatal, que tornou obrigatória a versão básica do Teste do Pezinho em todo o território nacional.

O teste consiste em coletar uma pequena amostra de sangue do calcanhar do bebê, região rica em vasos sanguíneos – por isso, o nome popular – e analisá-la por meio de uma série de exames laboratoriais. A finalidade é detectar doenças que, se não diagnosticadas e tratadas precocemente, causam graves problemas de saúde e comprometem a qualidade de vida da criança.

Para que o exame seja efetivo, é recomendado que o bebê tenha entre 3 a 5 dias, e que esteja sendo alimentado, uma vez que existem dosagens que avaliam o metabolismo de aminoácidos”, explica Dra. Helena Pimentel, médica Geneticista e Diretora Médica da Apae Salvador.

A triagem neonatal obrigatória, oferecida pelo Sistema Único de Saúde (SUS), inclui seis doenças: Fenilcetonúria (PKU), Hipotireoidismo Congênito (HC), Doenças Falciformes (DF) e Hemoglobinopatias, Fibrose Cística (FC), Hiperplasia Adrenal Congênita (HAC) e Deficiência de Biotinidase (DB). Porém, por meio da coleta de sangue em papel filtro podem ser realizadas outros testes, que podem detectar a suspeita de dezenas de doenças. Esta triagem é chamada de complementar ou ampliada e é realizada de forma privada, por solicitação médica.

Caso o Teste do Pezinho apresente um resultado positivo, os pais deverão ser orientados sobre as ações necessárias para confirmação diagnóstica e consequente tratamento e cuidados para garantir a qualidade de vida da criança. Quanto mais cedo as doenças forem identificadas e tratadas, maior a possibilidade de evitar sequelas e, até mesmo, a morte.

Embora exista conscientização, o Teste do Pezinho ainda é conhecido superficialmente pelas mães brasileiras. É evidente a importância do profissional da saúde, em especial médicos e enfermeiros, na educação e informação dos pais em relação ao exame para a sobrevida da criança.

Fica o alerta e reforço da importância para que nenhuma criança deixe de ser assistida!

The following two tabs change content below.
Paranaense de coração, vivendo há 10 anos na conexão Rio/Niterói. Sou Relações Públicas, especialista em gestão de pessoas. Abraço a maternidade em tempo integral na minha jornada como mãe do @guri_feliz #aos9 e do @guri_valente #aos4. Fotógrafa nas horas livres e paparazzi dos filhos, também amo cinema, sou muito fã da cultura pop, quadrinhos e seriados de TV. Com Caio e Vicente inventamos muito #lazercomfilhos e artes de um modo geral! E se sobra tempo, a gente se joga nas viagens...

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *