Livros de feltro feitos à mão #DIY

Quando meu primeiro filho nasceu, eu enveredei por caminhos que envolviam a simplicidade, as brincadeiras e a tônica do lúdico em tudo que poderia fazer e usar para lhe ensinar. Eu trazia comigo uma grande “sede de dedicação” tal qual a sede de aprendizado quando iniciamos um curso novo, um projeto especial. E meu filho era o projeto mais especial da minha vida. Com ele eu criava histórias, músicas, fazíamos brincadeiras e fomos cultivando até mesmo piadas particulares que somente os familiares entenderiam.

Antes que ele tivesse sua primeira experiência com a vida escolar #aos2 – o que aliás, hoje julgo ter sido muito cedo, já que eu tinha tempo e estrutura para estar com ele – conheci os livros de feltro feitos à mão por pessoas com talentos múltiplos, mas especialmente, com sensibilidade em doses extras. Numa feira de artesanato local, que ocorre aqui no Campo São Bento, em Niterói, duas ou três artesãs (à época) desenvolviam histórias de personagens já conhecidos do público infantil, como João e Maria, Chapeuzinho Vermelho e a Branca de Neve. Lindas obras de arte recortadas e costuradas à mão em que a pessoa doava carinho e tempo para fazer uma releitura fofa e delicada para pequenas mãozinhas encantarem-se com o mundo.

Passado algum tempo, conversava com uma mãe da escola do meu filho, já no ano seguinte #aos3 e ela me contava que fazia os próprios livros de feltro. A cada palavra e descrição que Rose fazia sobre a referência daquilo no desenvolvimento da filha mais velha, já #aos8 e do segundo filho, também #aos3, mais eu me encantava. Ela utilizava as peças coloridas de feltro para retratar letras e formas conhecidas, apresentando o cotidiano em projetos e histórias que se relacionassem com a vivência dos filhos. Um material de valor inestimável, feito com carinho e absolutamente seguro. Na mesma hora me propus o desafio e assim fiz um livro amarelo com as letras do alfabeto, desenhadas de maneira bem irregular (porque não sou muito coordenada) e um livro laranja, onde preenchi todos os animais que eu conhecia. Fizeram mais sucesso do que me deram calos ou furos nos dedos. E meu filho até dormia com eles. Foi uma oportunidade incrível!

Logo depois dos livrinhos de feltro, descobri os tapetes contadores de histórias através dos artistas empreendedores da Rabixpixa, histórias representadas nas tramas do algodão e que permitiam contar a historinha e deitar-se sobre ela. Terminando, enrolava-se o tecido e num pequeno volume nas mãos, a história estaria guardada. Inspirada nesses tapetes, achei muitos outros idealizados por dedicadas e prendadas mães norte-americanas à venda no site de comércio eletrônico Etsy.com – uma joia seguida por outra. Mas pra confeccionar algo assim eu não tinha talento nenhum, ainda que fã da máquina de costura. Enfim. Louros a quem merece. Se a mãe não sabia fazer igual, comprava pronto, o importante é e sempre será a motivação e o interesse em propor algo de qualidade e especial aos pequeninos.

Com esse pensamento, ao longo desses anos na maternidade e agora com meu caçula #aos4 aprendendo a ler e junto disso, filhos de amigos, sobrinhos e afilhados aproximando-se da leitura e a interação com o mundo criativo do faz de conta e das representações do dia a dia, achei inspirações lindas em feltro via Pinterest. E melhor, obras lindas feitas por pessoas muito prendadas assim como Vanessa Biali, do blog A magia do feito à mão. Abaixo coloco algumas fotos do trabalho dela, pois me encantaram muito. E melhor, ela comercializa apostilas com o passo a passo e principais dicas para o “faça você mesmo” (do it yourself).

Este slideshow necessita de JavaScript.

Uma outra proposta de livro, achei também via pinterest num update de Anna Mirash e nesse material a representação do cotidiano é super delicada, além de fazer do livro, uma ótima companhia para passeios e viagens.

Outras opções muito lindas para ilustrar e representar ferramentas do aprendizado infantil em feltro eu ilustro aqui com o material de uma mãe chamada April, cujo comércio on line está disponível via Etsy.com sob o nome de Sweet Juice. Ali April dá munição para trabalhar a coordenação motora, noções de lateralidade e linguagem sensorial com formas e texturas, além de motivas as formas geométricas, cores, horas e a imaginação como um todo. Vejam na galeria, são ideias muito fofas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Essas são algumas ideias pra hoje, mas prometo voltar com outras sugestões porque o assunto não tem fim. Espero que tenham gostado.

E antes que eu deixe passar, um parabéns enorme para todas as mães, avós e outras responsáveis por crianças que tem a “bênção” de contar com motivações carinhosas como os livros que mostrei aqui. Certamente, esse cuidado não será esquecido!

The following two tabs change content below.
Paranaense de coração, vivendo há 10 anos na conexão Rio/Niterói. Sou Relações Públicas, especialista em gestão de pessoas. Abraço a maternidade em tempo integral na minha jornada como mãe do @guri_feliz #aos9 e do @guri_valente #aos4. Fotógrafa nas horas livres e paparazzi dos filhos, também amo cinema, sou muito fã da cultura pop, quadrinhos e seriados de TV. Com Caio e Vicente inventamos muito #lazercomfilhos e artes de um modo geral! E se sobra tempo, a gente se joga nas viagens...

Latest posts by Tiffany Stica (see all)

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *