A família de Felipe Simas inspira quartos de irmãos 

Recebi fotos dos projetos de decoração do quarto dos filhos do ator Felipe Simas e identifiquei tantos elementos que uso ou já usei nos quartos dos meus três filhos que tive que trazer para cá.

E, claro, com algumas dicas que expliquem porque a gente deve adotar certos elementos num quarto brincante e leve!

O casal explicou que mudou de endereço para ter mais espaço – e quartos separados – para os filhos.

Esse é um tema controverso, né?

Deixa eu contar a minha experiência de mãe de 3: 

Quando tive meu segundo filho, o primeiro estava com 2 anos e pouco e optamos por mantê-los no mesmo quarto para incentivar a proximidade deles e, também, para não parecer pro meus velho que de repente a gente “só ficava no quarto do bebê”.

O quarto sobressalente continuou sendo meu homeoffice e ganhou uma brinquedoteca e biblioteca para eles curtirem junto. Assim, quando o mais novo cochilava, o mais velho podia brincar!

Felizmente o caçula sempre dormiu bem à noite toda e o mais velho tem um sono pesadíssimo até hoje – e curiosamente, ou por ser o primeiro, ele foi o bebê que mais me cansou nas mamadas e trocas das madrugadas!

Quando a caçulinha chegou, 10 anos depois, nossa estrutura era outra e eu tinha optado por um escritório externo e tínhamos um quarto já com pouco uso. Para não tirar a liberdade dos pré-adolescentes, montamos o quarto (montessoriano) da pequena separado. Hoje, aos 4, ela já foge para pegar no sono no quarto dos irmãos e creio que se eu deixar ela vai levar colchão pra dormir lá às vezes!

🙂

Mas vamos ao projeto da família Simas:

O projeto é da arquiteta Darliane Carvalho, com produtos da Loja Mundo do Bebê.


Para Maria, Darliane criou um espaço suave, delicado e harmonioso. É interessante criar um quarto que acompanhe o desenvolvimento da criança e estimule a imaginação. “A percepção do mundo infantil é muito diferente do mundo adulto, sempre procuro usar produtos que sejam versáteis e que possam ser usados durante anos”, afirma a arquiteta.

No quarto de bebê da minha filha, embora tenha tido cama baixa (no chão) desde a chegada da maternidade,e eu também tive estes assessórios básicos para o conforto dos pais nos primeiros meses de intensa atividade na amamentação e trocas de fraldas. Curiosamente bem parecido com este canto, com uma cômoda discreta que seria de trocador, uma mesinha delicada para apoiar a água que repunha as forças da mamãe que aleitava e uma poltrona confortável. Logo foram “descartados” (leia-se “mandados para o quarto da mamãe) para abrir espaço para a bebê engatinhar e depois brincar muito.


Para o quarto do Joaquim foi criado um ambiente lúdico com inspiração no método montessoriano, onde a criança fica livre, mas em um ambiente seguro.

“Meu filho adorou o espaço e já chegou brincando”, contou Felipe.


Minha experiência, depois de 4 anos completos de quarto, casa e atitude montessoriana com Manu, que está prestes a ganhar uma nova decoração (estamos encantados com os móveis da Viscondesconde!) para o quarto mais voltado para a fase dela, de pré-escolar:

Ao optar por deste método de forma integral, seguimos um pouco do que lemos sobre Maria Montessori. Em cada detalhe pensamos que o ambiente tem que ser para a criança e não apenas para facilitar as tarefas dos adultos – e considero este o ponto fundamental neste método. O quarto precisa ser um ambiente seguro sim, mas acima de tudo um espaço que ofereça liberdade à criança.

Aqui entra um comentário que acho legal fazer para quem quer optar por uma educação montessoriana: é uma escolha de vida, não de um simples quarto de brincar. Vejo mães em grupos sobre o tema que contam que “desmontaram o berço e arrumaram o quarto” para que fosse montessoriano. Mas funciona mesmo ter um “lar montessoriano”, uma experência que envolva, se possível, toda a casa, toda a família e todas as atividades.

 

E republico 13 dicas para famílias montessorianas, que podem ser lidas, com explicações, no site Lar Montessori:

1. Tenha tempo para ficar com seu filho, e para o deixar sozinho.

2. Ensine seu filho a fazer sozinho.

3. Abaixe o teto ou levante o chão.

4. Dê opções.

5. Tenha coragem de ser pacífico.

6. Saiba ser gentil quando firme e firme quando gentil.

7. Conheça a realidade profundamente.

8. Espante-se com alguma coisa boa todos os dias.

9. Não busque brinquedos só na loja de brinquedos.

10. Mantenha um diário que seja diário.

11. Conte histórias.

12. Conheça muito bem a escola de seus filhos.

13. Informe seus amigos e familiares e os professores de seu filho.

E se você que me lê também fez esta opção, conte nos comentários, será uma alegria aprender com sua experiência.

The following two tabs change content below.

Sam Shiraishi

Cristã, jornalista, mãe de Enzo, Giorgio e Manuela, casada com Guilherme. Paranaense que caiu de amores pela Mooca em 2005. Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena.

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *