Dica preciosa: Baby Friendly Site

Ainda no clima da Semana Mundial do Brincar, tenho uma dica muito bacana pra compartilhar com as leitoras e leitores do Blog que tem bebês (e crianças menores).

Duas amigas queridas, a Clarissa e a Mariana, aproveitaram a tempestade tsunâmica que é a vivência do puerpério para questionar o mundo que se apresenta de forma diferente a toda mulher (e família) que vira mãe, e começa a topar com os limites de uma cultura que não vê com bons olhos uma família com bebê. Sim, isso existe, é de verdade.

Eu mesma já fui dessas que ficava extremamente irritada com criança chorando no ônibus, por exemplo. Ou fui dessas que achava o fim uma birra no meio do mercado, até parir o meu próprio teto de vidro (ri ou chora, tanto faz rs).

E aí a gente começa a buscar lugares onde possa se sentir mais normal um pouco. E mais que isso, começamos a buscar lugares que nos recebam com dignidade e amor, afinal, não é porque um restaurante tem um cadeirão no canto que ele é preparado pra receber um bebê.

E mais que isso. Elas, como eu e muitas mães que conhecemos, começaram a questionar porque a sociedade é tão avessa à presença de uma criança, se todos nós já fomos uma um dia.

E elas transformaram seus questionamentos num empreendimento simplesmente fantástico: o  Baby Friendly Site.

Elas se dispuseram não só a dar dicas de lugares bacanas pra levar os pequeninos, como estão mapeando em detalhes estes lugares, com informações super preciosas, com a proposta de responder se o lugar atende bem qual idade, por exemplo, se dá pra levar um bebê em introdução alimentar aos 6 meses, ou se é melhor pros maiores, com mais de um ano.

E mais que isso ainda, se no lugar tem gente bacana trabalhando, que vai não só te receber com os protocolos, mas se há disposição em sair “da caixa” para prestar um serviço mais adaptado à pessoinha que você levou pra passear.

Eu nunca havia visto um lugar onde se pudesse buscar informações tão completas. E olha, nos meus 8 anos de maternidade, já entrei em cada roubada…

Elas são minhas amigas pessoais. Eu fiquei bem feliz em ver que estavam empreendendo e até pedi que fossem conversar a respeito com as outras mães que recebo toda semana no Grupo de Powerpério da Lumos, para inspirá-las mesmo a acreditar nas transformações e pra que soubessem que o puerpério um dia chega ao fim, mas a mulher que nasce dele é infinitas vezes mais plena e capaz do que aquela que enfrentou os momentos mais sombrios (o caminho pode ser árduo, mas tem final feliz).

E a Mari foi e compartilhou sua história de maternidade, que é maravilhosa (ela já até foi personagem de um post meu sobre o puerpério), e depois nos contou em detalhes o que é o Baby Friendly. E desde então eu estou apaixonada! E além das dicas ainda tem o efeito colateral de explodir o fofurômetro toda vez que aparece na timeline duas menininhas lindíssimas e super engajadas no negócio das mamães (elas fazem o test drive e dão seus pareceres em cada experiência).

Por isso, fica a dica: curtam, compartilhem, aproveitem, certamente a vida com crianças ficará bem mais interessante com a super ajuda delas! Eu amei!!!!!

Serviço:

www.babyfriendly.com.br (em construção, mas já quase saindo)

https://www.facebook.com/guiababyfriendly/

https://www.instagram.com/babyfriendlysite/

O @maecomfilhos é apoiador oficial da Semana Mundial do Brincar 2017. Quer apoiar também? Basta se envolver em ações que permitam a união de pessoas de idades e culturas diferentes do brincar livre e tratado como um fim em si mesmo, sob todas as formas. E, sobretudo, garantir que o brincar tome conta de espaços públicos e privados, instituições, escolas, ruas e famílias. A inspiração para 2017 é o tema “O Brincar que Encanta o Tempo”.
The following two tabs change content below.
Nivia Gonçalves Masutti, Psicóloga, Psicoterapeuta Existencial, com experiência em Saúde Pública e Saúde Mental e em Recursos Humanos. Deixou o serviço público e mais tarde, a vida corporativa, ao perceber que, mesmo sendo apaixonada pela correria do trabalho, a maternidade é a sua melhor parte. Mãe de primeira e de segunda viagem, da Luiza e do Guilherme, depois de muitas rupturas e recomeços, encontrou na Psicologia da maternidade, um jeito novo de conciliar as coisas que mais ama: a Psicologia e os filhos. Apaixonada pelos processos de crescimento e transformação do ser humano e pela força dos grupos, atua hoje com atendimentos clínicos individuais, coordena um grupo de pós parto, o Grupo de "Powerpério", na Lumos Cultural, e ainda encontra energia para juntar na sua prática profissional outra paixão: fazer pães, usando o processo de fabricação dos mesmos como metáfora para explicar os caminhos de transformação pessoal.

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *