Rodinhas nos pés, pode?!

Hoje vamos falar sobre os tênis de rodinhas que viraram uma febre entre a garotada desde o começo do ano passado, 2015. Quem não viu nos corredores dos supermercados, escolas e parques a criançada deslizando de um lado para o outro com a ajuda desses tênis? Minha filha mais nova, Larissa, quis um na mesma hora em que viu, mas minha visão mãe-fisioterapeuta me fez postergar ao máximo.

Os modelos da foto são ilustrativos e não correspondem a publieditorial ou review de produto.

 

Ao ver as crianças usarem o tênis de rodinhas me veio a imagem de um patins adaptado, mais colorido, alguns com luzes de led e aparentando uma certa praticidade. Praticidade esta relacionada ao fato de colocar a rodinha no tênis ou simplesmente destravá-la para começar a deslizar.

Só que andar sobre rodinhas requer cuidado, atenção e aparelhos de proteção. Sim! Proteção! Como o tênis de rodinhas trata-se de um calçado lúdico, um acessório, ninguém imaginava ter que colocar no filho capacete, joelheira ou cotoveleira. Basta dar uma olhada em centenas de vídeos na internet para ver muitos tombos relacionados ao uso do tênis de rodinhas.

A Sociedade Paulista de Pediatra chegou a publicar uma nota relacionando o aumento do número de atendimento nas emergências aos traumas causados com o uso destes tênis. Quedas e traumas são os mais comuns, mas o uso contínuo pode causar lesões nos calcanhares e até inflamações. O tênis, em si, é mais pesado que o normal e o tempo de uso deve ser restrito.

Uma fabricante desse produto chega a alertar e expõem informações de segurança para o correto uso do mesmo e eu exponho o vídeo propaganda deste fabricante não como publieditorial, mas para exemplificar a observação sobre segurança, mesmo em solo apropriado (no caso, pistas de patinação/skate).

 

Alerta e segurança.

O tênis de rodinhas deve sempre ser utilizado portando os equipamentos de proteção, como cotoveleiras, joelheiras, luvas e capacetes. A criança sempre deve estar acompanhada de um adulto e até adquirir domínio e equilíbrio, a criança deve se segurar no responsável. O local a ser escolhido deve ter piso liso, garantindo segurança, sem degraus, desníveis e rachaduras.

Vale procurar saber antes se o local escolhido permite o uso desse modelo de tênis. Museus e instituições hospitalares, por exemplo, podem proibir a passagem utilizando este calçado. Não se deve andar sobre as rodinhas porque o risco de desequilibrar aumenta muito. Outra questão muito importante também é que os tênis não podem ser usados por horas seguidas. Recomenda-se, no máximo, 2h por dia!

Realmente, tênis de rodinhas não são brinquedo não! Precisa de supervisão, controle, limite e treino. Muito treino para dominar a técnica e evitar lesões desnecessárias. O uso consciente é a melhor receita. Como tudo em nossa vida, aliás.

Larissa, ainda não está muito confiante porque não sabe ainda se equilibrar. Cada criança tem seu ritmo. Aqui continuamos treinando para daqui a pouco ela poder brincar e se exercitar com seu tênis de rodinhas, feliz como qualquer criança.

Forte abraço e até o próximo post.

 

The following two tabs change content below.

Caroline Conceição

Mineira, fisioterapeuta, mãe de Gabi e Lalá.

Latest posts by Caroline Conceição (see all)

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *