Em tempos de redes sociais com tudo à solta, vale reforçar os laços de amor

Na semana passada, ouvi e li, a partir de diferentes fontes, questões que nos remetem a educação e ao comportamento dos filhos diante de tudo a que estão expostos. As muitas informações a que nossas crianças e adolescentes estão expostos são um “negócio a gerir”, pois atingem grandes dimensões (interesse e repercussão) e suas bagagens de vida ainda não permitem que administrem isso com tanta sabedoria.

Os riscos a que estão submetidos, a partir de exagero na sua exposição pessoal, na troca de informações ou através de jogos diversos a que se vinculam podem significar mais do que a gente imagina, mas quem irá falar sobre isso serão nossas mães colunistas Nívia Masutti e Aline Kelly num trabalho conjunto com a Sam Shiraishi, nos próximos dias. Elas têm mais conhecimento de causa, com filhos adolescentes e a formação de psicologia de Nívia, para, num texto escrito a seis mãos e mentes brilhantes, trazer uma orientação geral a todas nós que nos dedicamos a refletir sobre esses assuntos.

Antes disso, só venho pontuar uma reflexão que sugeri às mães e responsáveis dos grupos escolares dos meus filhos, neste último fim de semana. Pensando em amor, necessidade de atenção e limites para nossas crianças versus transgressão e desafios próprios a cada faixa etária, um boa leitura pode ser o título “As cinco linguagens do amor – das crianças”. Sob a assinatura e expertise de Gary Chapman e Ross Campbell, nos inclina a interpretar qual a linguagem de amor que seu filho “fala” melhor.

Você sabe falar a linguagem de amor do seu filho?

“Cada criança possui uma linguagem de amor principal e específica, uma maneira através da qual ela compreende melhor o amor do pai e da mãe. Este livro ensinará você a reconhecer e falar a linguagem de amor fundamental de seu filho, e o informará sobre as outras quatro linguagens de amor utilizadas entre os seres humanos. Um Plano de Ação incluído no final do livro o ajudará a conseguir isto. Para tornar-se um adulto responsável, seu filho precisa ter certeza de que é amado. E ele só poderá obter essa certeza através de uma dessas linguagens”.

Qualidade de tempo • Contato físico • Presentes • Atitudes de serviço • Palavras de afirmação

 

Penso que estamos num momento de vida em que valores morais e necessidades materiais se confundem a partir das prioridades que cada pessoa lhes dá e assim os pilares das famílias (de todos os gêneros e formatos) acabam enfraquecidos.

Filhos que não sou ouvidos, que não são vistos e sentidos pelos pais e demais responsáveis (como os avós, tios e demais redes de apoio) acabam extrapolando as suas necessidades de atenção e sua pseudo autonomia através de relacionamentos que envolvem desafios, agressão, exibicionismo, rudeza, agressividade e animosidade ainda que em contextos desnecessários, como a convivência escolar e outras de cunho social.

Eles são imaturos e não trazem ainda bagagem emocional suficiente para distinguir o certo do errado, o instigante do inapropriado e, cedo ou tarde, acabam confrontados com frustrações pessoais que são difíceis de enfrentar e digerir. E, se não me falha a memória sobre a minha própria infância e adolescência, é no amor e na compreensão dos pais que encontramos segurança e a melhor orientação.

Vamos estar por eles. Mais do que provê-los, vamos estar com eles, de peito aberto e com uma fala sincera. Assim tenho escolhido agir em minha casa e ainda assim, enfrento desafios diários como qualquer mãe, mas sigo em frente.

Hoje a Baleia azul, as piadas preconceituosas, os vídeos inapropriados, a pornografia e a violência invadem todos os serviços de redes sociais aos quais a maior parte das crianças têm acesso, então hoje mães e pais – e a rede familiar inteira, se possível – deve se manter alinhada ao propósito de educar e proteger nossas crianças.

Quero tão bem aos seus filhos, como quero aos meus. Empatia, solidariedade e respeito. Vamos praticar!

(Tiffany Stica)

 

 

 

The following two tabs change content below.
Paranaense de coração, vivendo há 10 anos na conexão Rio/Niterói. Sou Relações Públicas, especialista em gestão de pessoas. Abraço a maternidade em tempo integral na minha jornada como mãe do @guri_feliz #aos9 e do @guri_valente #aos4. Fotógrafa nas horas livres e paparazzi dos filhos, também amo cinema, sou muito fã da cultura pop, quadrinhos e seriados de TV. Com Caio e Vicente inventamos muito #lazercomfilhos e artes de um modo geral! E se sobra tempo, a gente se joga nas viagens...

Latest posts by Tiffany Stica (see all)

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *