O que o esporte pode fazer por nossas filhas #MeninasFortes

Meus olhos até encheram de lágrimas quando vi o vídeo que a Nescau® produziu pelo dia Internacional da Mulher. O filme #MeninasFortes, tem como objetivo trazer a reflexão sobre a importância do esporte no desenvolvimento das meninas, destacando qual o seu papel dentro da preparação para fase adulta da vida.

Eu fui uma menina que mesmo muitas vezes a contragosto do meu pai, jogava futebol e vôlei na rua. Mas os tempos mudaram… Segundo pesquisa exclusiva desenvolvida pelo Studio Ideias para a marca NESCAU® em parceria com a 65/10, consultoria especializada em comunicação com mulheres, o número de meninas que praticam esportes na rua (59%) é menor do que o de meninos (69%) na mesma idade, principalmente pela preocupação com a segurança.

Além disso, na fase entre 8 e 9 anos, 65% dos pais acreditam que o mais importante para as meninas é estudar e apenas 1% praticar exercícios físicos. Enquanto isso, para meninos na mesma faixa etária, 55% dos pais priorizam para os filhos os estudos e 3% o esporte.

Por que ter menos oportunidades e incentivo para praticar esportes seria relevante para as meninas? Porque muito além de desenvolver o corpo, o esporte fortalece a auto-confiança, a determinação, o foco, a coragem e ajuda a criança a encontrar e praticar uma série de estratégias de defesa que serão indispensáveis ao longo da vida.  No post que fiz sobre uma outra pesquisa realizada pelo Ibope, destaquei a fala da psicologa Daniella Freixo de Faria sobre a importância dos esportes para o desenvolvimento das crianças:

“O esporte é a chance de a criança sair do mundo dos desejos para o mundo real de uma maneira escalonada, onde se aprende a necessidade e benefícios de se seguir regras, que na vida é preciso muita dedicação e esforço para se conseguir o que deseja. É o momento de aprender a lidar com as frustrações, de entender seu papel como indivíduo e como parte do coletivo”

Minhas filhas desde uns 7 anos praticam esportes, mas infelizmente raramente na rua – exatamente por conta da falta se segurança – mas tivemos o privilégio de alguma forma conseguir garantir esses momentos na rotina delas, seja no projeto pós horário de aula que tinha na escola durante os primeiros anos do Fundamental I, ou mais tarde no Curumim, sócio-educativo do Sesc e nas aulas de circo da Fábrica de Cultura. Este ano a Julia que está estudando em ensino integral, acabou se afastando das atividades esportivas que realizava até o ano passado por incompatibilidade de horários, eu já estava pesquisando alternativas, depois de ver esse vídeo, já quero resolver isso pra ontem rs.

#MeninaQueJoga #DonasDaRua

Uma publicação compartilhada por Aline Kelly (@alinekelly) em

Curtindo a #PaulistaAberta no #sp462

Uma publicação compartilhada por Aline Kelly (@alinekelly) em

Meus atletas 😍 #CircuitoSescDeCorridas #maecomfilhos #vivapositivamente #euatleta #30tododia #atletadeasfalto

Uma publicação compartilhada por Aline Kelly (@alinekelly) em

Espetáculo “Entre Deuses” – Ateliê de Circo @fabricasdeculturazl #FabricasDeCultura #FabricasDeCulturaZL #FabricasDeCultura

Uma publicação compartilhada por Aline Kelly (@alinekelly) em

Leia também: Pesquisa Ibope #MeuPequenoEsportista aborda as atividades preferidas da molecada

The following two tabs change content below.

Aline Kelly

Administradora, mãe de três, facilitadora em processos de interação e gestão de conhecimento em projetos de formação cidadã, direitos básicos e empreendedorismo. Em seu blog escreve sobre participação social, práticas sustentáveis e outros pensamentos aleatórios.

Latest posts by Aline Kelly (see all)

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *