Cárie, de fato é doença?

O sorriso dos filhos é tudo na vida de uma mãe, não é mesmo? Sentimo-nos gratas por vê-los saudáveis e bem dispostos, tranquilas acompanhamos seu desenvolvimento e suas descobertas. Estamos sempre alertas à educação, à alimentação e à saúde de um modo geral, mas não podemos nunca descuidar do sorriso, pois a saúde bucal vai muito além de uma simples escovação ou uma rápida visita ao dentista.

Sobre cáries na infância, por exemplo, muito se fala e muitas são as dúvidas, o que é natural e deve sim gerar polêmica e cuidados.

Crédito: Getty Image

Cárie, de fato é doença? É transmissível?

Há uma controvérsia sobre o assunto. Alguns especialistas consideram uma doença e outros não. Na década de 60, era considerada uma doença de causas multifatoriais e infecciosa, o que contribuiu para muitas discussões à respeito, entre profissionais de saúde e infectologistas.

A cárie não é transmissível, mas os micro-organismos que são associados à cárie podem ser transmitidos sim. É necessária uma combinação de fatores para que a lesão se desenvolva e isso está relacionado à desmineralização do dente. Bactérias do tipo Streptococcus Mutans produzem ácidos que dissolvem os sais de cálcio dos dentes. Esses micro-organismos fazem parte da flora bacteriana da cavidade bucal.

O aparecimento da lesão cariosa se dá por um conjunto de fatores: presença das bactérias, açúcar, e falta de higiene.

O uso do flúor é importante no auxílio ao combate à cárie porque previne a desmineralização, substituindo o cálcio que foi perdido atuando na remineralização da estrutura dentária sob a forma de fluoroapatita. Apesar de não interferir na formação da placa bacteriana e na transformação do açúcar em ácidos, o flúor é de extrema importância para diminuir a evolução da cárie.

Vale reforçar que podem estar relacionados ao excesso de cáries (mal tratadas) na infância: problemas de fala, perda de dentes, dentes permanentes mal posicionados, dores frequentes e baixa auto-estima. Circunstâncias que podem (e devem) ser evitadas.

A prevenção ainda é a melhor forma de evitar o aparecimento de cáries, porém cabe aí repensar hábitos cotidianos e alimentares. Diminuir o consumo de açúcar, manter uma higiene bucal adequada, com frequência de escovação e uso do fio dental, além de visitas periódicas ao dentista são fundamentais e não podemos abrir mão.

Feito isso, eles podem aproveitar a infância!

The following two tabs change content below.

Rosana Vaz

Rosana Vaz, ortodontista pediátrica, mãe full time, fã de cinema, dança, artes e cultura pop. Sou mãe de duas bailarinas lindas, Victoria, 11 e Sofia, 9.

Latest posts by Rosana Vaz (see all)

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *