Scooby Doo, onde está você?

Momento nostálgico. Seus filhos começam a falar dos desenhos favoritos da sua infância, então você fecha os olhos e logo sente “o cheiro” dos biscoitos Scooby… É pra rir mesmo. Quem nunca imaginou o gosto que àqueles biscoitos teriam? E quem não riu alto com as mirabolantes histórias desvendadas pela Mistérios SA?!

Scooby-Doo, onde está você?

image

Scooby-Doo é um desenho estadunidense produzido pela dupla Hanna & Barbera, criado no ano de 1969 pelo japonês Iwao Takamoto.
É o segundo desenho estadunidense com maior número de temporadas de todos os tempos, perdendo apenas para o “viciante” Os Simpsons, com 28 temporadas e mais de 580 episódios. Porém, como ainda são produzidos novos episódios, com novas temporadas encomendadas, isso pode mudar.

Formado por um grupo de quatro amigos aspirantes a detetives, curiosos, sagazes e muito afortunados, eu diria, Fred, Velma, Daphne e Salsicha, viajam numa van chamada Máquina Mistério e prontificam-se a solucionar casos misteriosos. Na companhia do desastrado dogue alemão falante Scooby-Doo, eles são sensação por onde passam.

Em cenários inóspitos, casas mal-assombradas, parques de diversões abandonados, pântanos e ilhas, a maioria dos episódios apresenta um enredo tão surreal quanto os violões em vestes de zumbis, monstros ou fantasmas. E era isso mesmo que a gente adorava! 😉

Os detetives seguem pistas, fogem dos vilões e, muitas vezes, vêem-se perdidos em passagens secretas e porões escuros. Dividem-se sempre em dois grupos quando vão procurar pistas: Fred e Daphne vão por um lado, enquanto Salsicha e Scooby acompanham Velma, que, apesar da esperteza e inteligência, vive perdendo seus óculos e se metendo nas confusões da dupla Salsicha e Scooby.

A fórmula dos episódios é sempre a mesma, mas isso não tira o brilho do programa: depois de uma cena de perseguição ou uma sequência musical, e por meio de algum plano ou ideia mirabolante, os vilões sempre são pegos. Estão sempre mascarados e as verdadeiras identidades são reveladas ao tirarem suas máscaras. Por trás delas há sempre o rosto de algum personagem já conhecido na história. Cada vez que são desmascarados, os vilões sempre dizem:

— “Eu teria conseguido se não fossem por aqueles garotos enxeridos e esse cachorro idiota”. (Sim, meus caros, os desenhos de antigamente sempre traziam xingamentos e referências à violência, mas nós vencemos esse detalhe).

Tudo veio à mente novamente, não foi?

image

É mais ou menos assim que me sinto quando os meninos começam a curtir o Scooby e sua turma. Através de filmes disponíveis no Netflix ou episódios via CineCartoon (do canal de TV a cabo Cartoon Network), os meninos têm contato frequente com essas histórias que permearam a infância dos pais.

Eu os vejo rindo e torcendo e não resisto, juntando-me a eles para aproveitar um pouquinho as peculiaridades e as repetições de cada história/personagem. E para finalizar este post, resolvi questiona-los sobre o que lhes despertava mais a atenção nesse desenho e as respostas foram ótimas…

— O que vocês acham mais legal no desenho do ScoobyDooh?
— A comédia do Salsicha e do ScoobyDooh. E também um pouco do mistério que eles desvendam em cada episódio. (Caio, #aos8)
— O ScoobyDooh e os amigos dele são do bem. E eu adoro eles. (Vicente, #aos3)

Parece que temos muito em comum, garotos! 😉 😘

image

(Fonte: parte dos dados deste texto pesquisei navWikipedia.pt)

The following two tabs change content below.
Paranaense de coração, vivendo há 10 anos na conexão Rio/Niterói. Sou Relações Públicas, especialista em gestão de pessoas. Abraço a maternidade em tempo integral na minha jornada como mãe do @guri_feliz #aos9 e do @guri_valente #aos4. Fotógrafa nas horas livres e paparazzi dos filhos, também amo cinema, sou muito fã da cultura pop, quadrinhos e seriados de TV. Com Caio e Vicente inventamos muito #lazercomfilhos e artes de um modo geral! E se sobra tempo, a gente se joga nas viagens...

Latest posts by Tiffany Stica (see all)

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *