Rosa Célia, um exemplo para seguirmos

Hoje é dia do cardiologista, profissão da nossa irmã do meio, Sheron.

Poderíamos traçar um perfil dela, mas, reservada como é, ela não gostaria nada! No lugar disso, escolhemos contar a história de uma médica e mãe que encarna os valores que amamos.


Trata-se de Rosa Célia. 

Ela conduziu a bandeira olímpica da Rio 2016.

Pequena, metro e meio de moral e vontade de vencer.

Aos 7 anos, foi largada num orfanato, em Botafogo, no Rio de Janeiro. Chorou durante meses.

Toda mulher ela achava que era a sua mãe que a vinha buscar. Depois de um tempo, desistiu…

Rosa Célia passou no vestibular de Medicina quando morava, de favor, num quartinho e trabalhava para se manter e decidiu se dedicar à cardiologia neonatal e infantil, quando estava no Rio de Janeiro. 

Sem saber inglês, meteu na cabeça que teria que estudar em Londres. 

Estudou inglês e conseguiu uma bolsa. Em Londres, era motivo de gozação dos colegas ingleses por causa de seu inglês ruim.

Mas, quando acertou um diagnóstico difícil numa paciente escocesa, que examinou por oito horas, ganhou o respeito geral.

De Londres, Rosa Célia foi direto para Houston, nos Estados Unidos, como escolhida e convidada.

Foi então que descobriu estar grávida, optou pelo filho, retornando para o Rio de Janeiro.

Todo ano viaja para estudar. Passa, no mínimo, um mês no Children´s Hospital, em Boston, trabalhando 12 horas por dia.

No Rio de Janeiro, abriu consultório, reassumiu seu lugar no Hospital da Lagoa.

Chefia um sofisticado Centro Cardiológico, onde são tratados casos limite, histórias tristes.

Hospital privado, caríssimo. Mas ela achou um jeito de operar ali crianças sem posses.

Em 1996, criou  uma ONG, a Pro Criança Cardíaca, instituição médica sem fins lucrativos. Em seus 20 anos, o Projeto já atendeu mais de 24.000 crianças e realizou 1.200 procedimentos invasivos.

Rosa Célia não tem fotos na mídia, nem brilha nas passarelas da moda.

Talvez nunca sua vida se torne um filme e diga ao mundo o que ela fez.


No entanto, ela sabe e tem certeza de que alcançou o seu sonho: 

“Sonhei a vida inteira. E consegui. Não importou ser pobre, ser órfã, ser mulher, baixinha, alagoana. Eu consegui.”

Dra. Rosa Célia, um exemplo de quem perseguiu um sonho e o tornou uma feliz realidade.

Um exemplo para seguir, para insuflar coragem de lutar. 

E antes da abertura olimpica, ela já teve outras honenagens:

Em 1999, foi citada na lista dos 10 melhores médicos da cidade do Rio de Janeiro, pela revista Veja Rio.

2004 – Dra. Rosa foi uma das condutoras do revezamento da Tocha Olímpica de Atenas, quando esta passou pela cidade maravilhosa.

2007 – Recebeu, em Roma, o título de Embaixadora e Operadora da Paz no Mundo; Cariocas do Ano, pela revista Veja Rio; Faz Diferença, do Jornal O Globo, na categoria Ciência e, e foi uma das Personalidades Cidadania, da Folha Dirigida.

2008 – Em solenidade acompanhada pelo filho Pedro do Rego Monteiro e pelo prefeito Eduardo Paes, Dra. Rosa Célia recebeu a Medalha Pedro Ernesto, a mais importante comenda do Município, oferecida pela Câmara dos Vereadores. A doutora recebeu a medalha das mãos da vereadora Patrícia Amorim. Pelo segundo ano consecutivo, recebeu o prêmio Personalidades Cidadania, da Folha Dirigida.

2010 – Foi homenageada pela Rede Record com o prêmio Atitude Carioca.

2012 – Recebeu a Medalha Tiradentes concedida pela Assembéia Legislativa do Rio de Janeiro e o Título de Médica do Ano, cedido pela Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro.

2013 – Por ter feito a diferença no setor de saúde, nos âmbitos assistencial e social, Dra. Rosa Celia foi homenageada pelo Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Casas de Saúde do Município do Rio de Janeiro (SINDHRio) com o Troféu Especial Alexandre

The following two tabs change content below.

Sam Shiraishi

Paranaense, Jornalista, mãe de Enzo, Giorgio e Manuela. Mooquense de coração. Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena.

Latest posts by Sam Shiraishi (see all)

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *