Gastroenterite, diarreia e viroses infantis

Quando eu era criança, frequentemente passava mal de dores no estômago ou intestino solto e, por vezes, perdia as aulas de segunda-feira de manhã. Lembro que cheguei a ficar em recuperação nas matérias que eram lecionadas neste período, ainda na quarta série, hoje terceiro ano. Ouvia minha mãe e o pediatra conversando: gastroenterite. Era tratada com dieta leve, alguma medicação para cólicas e em dados os casos, algo reparador para a flora intestinal. Na época não era comum investigarem alergias em geral, como ao glúten ou leite. Digamos que era algo “comum às crianças” que, muitas vezes estavam com as mãos sujas ou não lavavam bem as frutas. E eu, no caso, comia bastante fruta direto do pé (sem lavar), mas que bom que tive a chance de uma infância assim…

Diferentemente da realidade atual, hoje sabe-se que uma diarreia ou até o conjunto vomito e diarreia devem ser investigados com mais cuidado, pois podem sinalizar diversos problemas de saúde, inclusive a intolerância ou alergia alimentar.

image

A diarreia, creiam, ainda gera dúvidas e inseguranças entre os pais e cuidadores. Ela se caracteriza pela alteração do ritmo intestinal, provocando evacuações frequentes durante o dia, com fezes líquidas e mais fétidas. Segundo o pediatra Nilton Kiesel, do Hospital Pequeno Príncipe (PR), as viroses são as causas mais frequentes da diarreia, que aumentam no verão, e, em alguns casos, também é decorrente de bactérias que provocam a intoxicação alimentar.

O início da diarreia geralmente é abrupto e pode ocasionar mal estares abdominais, vir acompanhada de febre, desidratação e eventuais episódios de vomito. No caso das viroses, a principal forma de transmissão é por contaminação, através das mãos sujas das crianças e dos adultos ou pelo ar. Por isso aquelas recomendações da minha infância, na década de 80, estavam corretas e sim, o conselho e a orientação de mães e avós para lavar as mãos sempre é uma máxima valiosa! Faz parte da rotina de higiene que deve ser aplicada em todos os lares, mas que muitas famílias deixam passar…

📍Lavar as mãos sempre que chegar em casa;
📍Lavar as mãos antes das refeições;
📍Lavar as mãos depois de utilizar o banheiro para qualquer uma das necessidades;
📍 Evitar lavar as mãos na pia da cozinha, principalmente sobre a louça ou alimentos que possam estar de molho. O lugar certo é a pia do banheiro.
📍 Se você adulto precisar ou quiser oferecer alimentos (como petiscos ou snacks) a um bebê ou criança pequena, evite assoprar, morder ou cortar com sua própria boca antes, pois você pode contaminar o bebê que tem menos imunidade do que o adulto.
📍 Manter instrumentos de higiene sempre limpos e bem acondicionados, além de troca-los com frequência com as escovas de dentes, copos e garrafas térmicas.
📍 Para pequenos que gostam de pirulitos ou que usam chupetas, copos com canudo, orientar que não troquem ou revezem com coleguinhas para evitar também a contaminação.

Enfim, as recomendações são muitas. Mas e quando a diarreia das crianças e bebês demora a cessar ou ocorre com uma frequência muito próxima? Ainda que os adultos conheçam a situação eles não ficam menos preocupados especialmente porque junto desse quadro há uma inapetência por parte dos pequeno que rapidamente ficam prostrados e perdem aquele brilho no olhar, deixando o coração do pai e da mãe apertadinho. Por essas e outras razões, vale investigar melhor as razões da diarreia.

Até hoje, os métodos convencionais para investigar agentes patógenos nos exames de fezes solicitavam de 5 a 15 dias. No entanto, um novo teste chegou ao Brasil recentemente permite identificar o motivo do problema em apenas uma hora. Trata-se do Sistema FilmArray, desenvolvido pela bioMérieux.

A tecnologia, divulgada nesse nosso meio materno virtual pela Revista Crescer, diz que ele é capaz de detectar 22 patógenos, entre bactérias, vírus e parasitas. O teste já está sendo usado no Rio de Janeiro (no Richet Medicina & Diagnóstico) e em São Paulo (no Hospital Albert Einstein).

“Em crianças, principalmente nas menores de 2 anos, é importante o tratamento correto da causa da diarreia, pelo risco de desidratação”, afirma Helio Magarinos Torres Filho, patologista clínico e diretor médico do Richet Medicina & Diagnóstico. Ele explica que o teste é feito a partir de uma amostra de fezes que é analisada por um equipamento especial, que consegue reconhecer fragmentos de DNA dos microrganismos. Essa metodologia de biologia molecular é chamada de PCR em tempo real.

Fantástico, não é?!

E assim vamos sempre em busca de mais saúde e de mais informações a respeito de diagnóstico e prevenção. Lembrando que, nos casos de alergia alimentar, por exemplo, os sintomas se mostram peculiares dum modo geral, mas quando fogem à regra, muitos pais sofrem até que médicos especialistas (alergista, gastroenterologista e nutricionista) possam ajudar os pediatras na identificação das alergias e orientação adequada. Nestes casos, o novo exame pode ajudar e muito!

The following two tabs change content below.
Paranaense de coração, vivendo há 10 anos na conexão Rio/Niterói. Sou Relações Públicas, especialista em gestão de pessoas. Abraço a maternidade em tempo integral na minha jornada como mãe do @guri_feliz #aos9 e do @guri_valente #aos4. Fotógrafa nas horas livres e paparazzi dos filhos, também amo cinema, sou muito fã da cultura pop, quadrinhos e seriados de TV. Com Caio e Vicente inventamos muito #lazercomfilhos e artes de um modo geral! E se sobra tempo, a gente se joga nas viagens...

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *