Carrossel 2 – O Sumiço de Maria Joaquina

Nesta semana que começa estreia nos cinemas o filme “Carrossel 2 – O Sumiço de Maria Joaquina”.
Eu tive o prazer de já ter, não só assistido em pré-estreia com meus filhos, como assistido de novo, pensado a respeito do filme, conversado com outras mães sobre ele, ouvido histórias contadas pelo diretor Maurício Eça, enfim, arrisco dizer que tive o privilégio de mergulhar no filme (risos).

 

A convite da Otagai Mídias Sociais, vivi três dias muito bacanas de sessões especiais seguidas de bate papo com blogueiras (os), na sede da Paris Filmes, nas quais pude compartilhar alguns insights de psicóloga sobre o filme, numa conversa moderada pela Sam Shiraishi.

Alguns pontos foram pensados e debatidos por nós ao ver o trailer, pensamos no quanto à exposição dos nossos filhos na internet pode ser algo arriscado (Maria Joaquina é sequestrada após o sucesso do Panapaná) e levantamos também a reflexão sobre qual é o melhor momento de permitir que nossos filhos saiam sozinhos pela cidade (o filme traz uma aventura da turma pela cidade de São Paulo, quase que sozinhos).

 

Mas depois de assistir ao filme, enxergamos outras mensagens!

 – A linha do tempo, o quanto a turminha que fez tanto sucesso na novela cresceu, os interesses mudaram e tudo isso acompanhado pelo público, de uma maneira muito próxima ao que acontece na casa, na escola e na vida da gente e dos nossos filhos (um viés que somente uma produção nacional, pensada e feita para nós, poderia nos dar).

 – A construção do vínculo e o fortalecimento da amizade, o quanto nossas vivências impactam nosso crescimento e amadurecimento (positiva e negativamente).

 – Como as nossas histórias seguirão conosco por toda a nossa vida, como diz a música Panapaná

                         “será que tudo isso é na verdade, uma fábrica de saudades? 

 Elas farão parte do que nos tornarmos no futuro (eu me lembrei de uma dezena de aventuras vividas por mim quando eu tinha a idade das personagens do filme e como todas elas são retalhos da “colcha” que sou hoje.

E de outras tantas que hoje observo sendo mãe da Luiza, de 7 anos, mas que já tem uma turminha que cresce com ela desde o berçário, a riqueza e a importância disso na formação da pessoa que ela será lá adiante).

– Cada um tem seu jeito e sua forma de lidar com o mundo, mas juntos, sempre somos melhores e mais fortes, imbatíveis! O filme traz uma mensagem de união, cooperação e até de ressignificação que é sensacional.

– E como diz a música:

“Juntos, juntos, juntos, juntos

Contra essa amizade não tem pra ninguém!



De zero a dez, dou mais de cem!



Pra essa turma eu tiro o chapéu



Amigo a gente ama a gente cuida bem



Essa é a turma do carrossel”


Do carrossel, da Luiza, do “Mãe com Filhos”, de todos nós!
Gostou da reflexão? Então convido você e sua família para correr pro cinema a partir do dia 07 de julho, qunita-feira, e conferir uma produção nacional feita com carinho e dedicação para toda a família. O filme com certeza agrada aos pequenos, aos crescidinhos e aos crescidões. Como um passeio num domingo de sol.

P.S. Veja no vídeo abaixo o que nossos pequenos acharam do filme:

The following two tabs change content below.

maecomfilhos

Latest posts by maecomfilhos (see all)

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *