Fórum de Pais na IBAB: Emoções: heroínas ou vilãs?

– Mamãe, me dá um colo?
Foi assim, com muito abraço e colo, que participamos do Fórum de pais na IBAB, ouvindo Daniel Barros e Maria Regina Brecht falarem sobre “Emoções: heroínas ou vilãs?” e pensando muito sobre nossos próprios sentimentos.
O tema faz a gente pensar no filme Divertidamente e foi com ele que abriram o Fórum de Pais. Daniel Barros, psiquiatra, consultor do Bem Estar e colunista do Estadão, é também pai de crianças pequenas e membro da IBAB. Ele começa com o filme elogiando o filme, contanto que os roteiristas, ao estudarem o tema, chegaram a considerar 20 personagens-emoções. Imaginem!
Se a “mesa de controle” do bebê tinha só alegria e tristeza. Depois os sentimentos e emoções vão se sofisticando e complicando.
Existem emoções positivas e negativas, o que não significa se é bom ou ruim. Exemplo: o momento em que você vê o resultado de um teste de gravidez. Cada momento de vida teria uma emoção com o resultado e não há regra sobre ser positiva ou negativa.
O medo nos protege, nos faz fugir do perigo. No final das contas, todo medo é sempre um medo da morte? Em última análise sim, ele nos faz sobreviver. O medo é uma emoção negativa – porque ninguém gosta de ter medo – assim como o nojo, que nos preserva e emoção da qual a gente foge.
As emoções positivas são exatamente o oposto. A gente quer se alegrar, se abraçar, quer ter um orgasmo, quer se satisfazer com uma comida. A gente quer sempre mais do que é bom.
Qual a diferença de emoção e sentimento?
Emoção é algo que acontece conosco sem que tentamos controle. É ao mesmo tempo físico e mental. Por exemplo, o medo.
Sentimento é o que pensamos sobre o que está acontecendo conosco.
Quando pensamos nos sentimentos, temos a mesma reação primária que a Alegria: queremos evitar as emoções negativas. Especialmente como pais queremos evitar a todo custo que os filhos vivam emoções como Medo, Nojo, Tristeza.
A sociedade ajuda nisso, pois avançamos e a maioria de nós consegue evitar muitos perigos.
Por outro lado, nossa sociedade atual nos cobra sentirmos Alegria o tempo todo. A gente tem medo, tem tristeza. A normalidade é saber que as emoções negativas acontecem e lidar com elas.
O filme retrata bem uma realidade: se uma emoção negativa some, quando vivemos uma situação limite outra se apresenta. Por exemplo: num momento de luto, há quem diga: “não fique triste”. Se não ficar triste, o que sobrará para você ver o luto? Raiva? Fobia? O que é pior?
O pior é não viver as emoções.
Tem muito mais, creio que breve o vídeo estará no site da www.ibab.com.br. E recomendo também seguir o Daniel nas redes sociais, ele está com um especial sobre Corrupção que cabe muito pro momento atual.
The following two tabs change content below.

maecomfilhos

Latest posts by maecomfilhos (see all)

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *