Turismo de empatia

Ou a história da menina que sonha em conhecer o mundo que quer mudar e melhorar

#abreaspas
“No meio do ano uma das minhas melhores amigas me soltou uma bomba: vou passar um mês no Oriente Médio, visitando campos de refugiados e ajudando mulheres em situação de risco.
Olhei com aquela cara de “Meu Deus!” e fiquei quieta. Conhecendo esta taurina como eu conheço (além de grande amiga, parte da família do meu coração, ela é madrinha da minha filha), eu sei que não adianta falar nadica de nada quando ela decide alguma coisa. Assim, simplesmente ouvi. Os planos, os sonhos e até os medos. Depois me juntei ao restante da família e amigos em orações para que tudo corresse bem, na expectativa por notícias (nos primeiros dias ela nem podia postar nas redes sociais para nos dar notícias) e na curiosidade com tudo que essa experiência de vida faria com ela.
Logo que ela chegou nos vimos e eu vi que tinha uma nova Talita ali.
Mais madura, mais centrada. Ainda a mesma “louca por viagens” e a menina que sonha em conhecer o mundo que quer mudar e melhorar.
E ela tinha um plano que muitos de nós, acompanhantes digitais da sua aventura pelo Oriente Médio, desejamos secretamente e que tem um significado lindo: criar um projeto coletivo para contar tudo que viu e viveu, trazendo para perto de nós a realidade de famílias que vivem a guerra e as lutas que vemos pela TV e lemos nos portais.
A ideia é a cara de Talita e de Marco, grande incentivador do projeto e autor de algumas das lindas fotos e vídeos de defesa do projeto, um financiamento coletivo no qual cada um colabora com uma cota e depois receberá o livro com crônicas e relatos da viagem pelo Oriente Médio, com refugiados sírios e iraquianos.
Essa é uma viagem que poucos pensam em fazer neste momento, pois sozinha Talita chegou à Jordânia (dias antes do ataque terrorista em Paris) e foi ao Iraque, onde conheceu campos de refugiados, esteve perto (50 km!) do Estado Islâmico. Ela resolveu atender a gente e contar parte das histórias que ouviu e viveu em meio aos refugiados sírios e iraquianos, e para ajudar os projetos que conheceu durante essa viagem, já que 100% do lucro será doado diretamente para eles.
Vejam o que ela se propôs a fazer:
A ideia é compartilhar com o máximo de pessoas as crônicas que escrevi no período em que estive na Jordânia, Curdistão Iraquiano e até um pouquinho na Turquia, além de dar dicas mais “turísticas” sobre as atrações que visitei em cada país e as delícias que experimentei. Se você se animar com as histórias, fiz um passo a passo de como embarcar no que eu chamo de “viagem de empatia”, onde o mais importante é ver, ouvir e sentir o que o outro tem a mostrar.
Além disso, ao participar desse financiamento coletivo, você também pode escolher receber fotos da viagem impressas, tiradas por mim ou pelo meu marido, que aos 45 do segundo tempo decidiu me encontrar no Iraque. E, para ajudar diretamente o projeto da Família Aziz, na Jordânia, é possível comprar uma camiseta com o símbolo que representa a letra “N” de Nazareno, cuja história merece ser contada e está detalhadinha aqui.
Ajude a realizar esse sonho, que, assim como o financiamento, é coletivo e nasceu no coração de muitas pessoas, até que eu tomasse coragem e decidisse encarar esse desafio. Sim, eu embarco “tranquilamente” para o Oriente Médio, mas tenho medo de lançar o meu primeiro livro Emoticon tongue
Clique aqui e contribua, escolha sua recompensa e compartilhe o nosso projeto com os amigos! Emoticon smile
Leia aqui
Quer mais um motivo para ajudar? 100% do lucro será doado aos projetos com humanitários que Talita conheceu na Jordânia e no Iraque.
Leia também o post
P.S. Pra quem gosta: Talita foi entrevistada no Nerdcast do Jovem Nerd “
Texto da Sam, original aqui <3
The following two tabs change content below.

maecomfilhos

Latest posts by maecomfilhos (see all)

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *