Natal e consumo consciente

Natal chegando, época de comprar os presentes para amigos e familiares e algumas reflexões.
Mais do que receber presenter, dá-los também é um ato que envolver amor, carinho e prazer (principalmente quando quem recebe é surpreendido).
Pode soar bem piegas, mas pra mim, presentear quem eu gosto vai além de “comprar um objeto”. Penso sempre naquilo que, além de agradar, tem um sentimento envolvido na sua produção. Cafona, né? rs
Mas é assim que eu penso para decidir o destino do meu “suado” dinheirinho na escolha dos presentes: comprar de pequenos produtores ou de artesãos da minha cidade. Acredito que a economia do país vai muito além dos produtos vendidos pelas grande lojas.
Tem muita gente talentosa trabalhando muito e tendo pouco retorno por não conseguir concorrer com o grande varejo e vejo que iniciativas como o Bazar Ó Gente provam que artesanato é bom, além de dar um toque especial de “carinho embutido” ao presente 😉
Também gosto de “fazer em casa”. Em casa criei o hábito de não sair comprando tudo (e no “tudo”, incluo desde fantasias para o pequeno até a montagem de móveis (sim, gosto de por a mão na massa! rs) ou uma noite de pizza).
Na Páscoa deste ano, no “amigo chocolate” que a escola faz, escolhi um ovo de páscoa caseiro e fiz uma bolsa de pano, que depois poderia ser usada pela amiga presenteada. A mãe da amiga ficou encantada com o presente (muito mais útil que os brinquedinhos de plástico que costumam vir nos ovos comprados). Fiquei feliz por terem gostado do presente, que foi feito com muito carinho. E acho que isso, não tem dinheiro no mundo que compre <3
Ovo de páscoa caseiro e sacolinha de pano para a amiga do #mininerd
E um dos meus maiores orgulhos é quando o pequeno me pede para fazer algo para ele. Fazer e não comprar, pois ele sabe que o que dá, fazemos em casa. O pedido mais recente dele, foi o gorro do Finn.
Gorrinho do Finn
Esta época do ano também me faz refletir sobre o consumo excessivo e como nós, pais e familiares, influenciamos as crianças. 
Acredito que a mídia, de forma geral, nos faz crer que ter é mais importante que ser, quando na verdade é o contrário.
Crianças sempre pedem coisas. Qualquer coisa (aqui, se eu fizer uma lista só das coisas que meu filho pede cada vez que damos uma volta no shopping ou vamos ao mercado, completaria fácil uma folha sulfite frente e verso). É o tal do “testar os limites” do adulto presente. E também de ter paciência para explicar para a criança que aquilo que ela pede, não é necessariamente bom ou útil ou financeiramente viável.
Enfim, fica a reflexão pelo consumo consciente.
Conte pra gente como vc decide os presentes da família na sua casa 😉

PS: Está bem em cima da hora, mas neste final de semana (5 e 6 de dezembro), tem a edição de Natal do Bazar Ó Gente. Corre lá que tem muita coisa boa e linda <3
The following two tabs change content below.

maecomfilhos

Latest posts by maecomfilhos (see all)

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *